Todas as duplas brasileiras avançam para a fase eliminatória do Mundial de Vôlei de Praia 2015 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Todas as duplas brasileiras avançam para a fase eliminatória do Mundial de Vôlei de Praia 2015

Compartilhe

As oito duplas que representam o Brasil no Mundial de Vôlei de Praia, que acontece na Holanda, avançaram para a fase eliminatória da competição.

No torneio feminino, as duplas brsileiras fecharam com mais duas vitórias nesta terça-feira (30). Fernanda Berti/Taiana (RJ/CE) e Larissa/Talita (PA/AL) entraram em quadra e mantiveram 100% de aproveitamento na competição, garantindo o primeiro lugar de seus grupos. Os confrontos da primeira rodada eliminatória (Round 32) também foram definidos e acontecem nesta quarta-feira (01.07).

Primeira colocadas e invictas no grupo F, Ágatha e Bárbara Seixas (PR/RJ) seguem em Apeldoorn e terão um confronto contra velhas conhecidas. Elas encaram as canadenses Jamie Broder e Kristina Valjas às 8h (de Brasília) no quarto duelo entre as duplas somente em 2015. Ao todo são sete confrontos, com seis vitórias das brasileiras e uma do time do Canadá.

Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE), que também terminaram invictas e em primeiro na chave I, permanecem sediadas em Haia e enfrentarão as venezuelanas Norisbeth Agudo e Olaya Pazo às 7h30 (de Brasília). É o primeiro encontro entre os times, que briga por vaga nas oitavas.

Juliana e Maria Elisa (CE/PE), que ficaram em segundo no grupo G, encaram as suíças Tanja Goricanec e Tanja Huberli às 9h, em Amsterdã. É o quarto encontro entre os times, com duas vitórias das brasileiras e uma das adversárias. As também invictas Larissa e Talita (PA/AL), líderes do grupo B, encaram as australianas Mariafe Artacho e Nicole Laird. A partida ocorre às 10h, em Amsterdã.

No primeiro duelo de brasileiras do dia, o jogo final de Larissa e Talita pelo grupo B começou equilibrado. Talita emplacou um ace, deixando o Brasil em vantagem, com 2/1. Explorando as diagonais e sacando o tempo todo em Larissa, o time adversário buscou a igualdade, em 6/6. 

A Suíça seguiu forçando o jogo e contando com erros do lado verde e amarelo virou a partida para 11/9. Talita, explorando o bloqueio, recolocou a dupla na frente do placar, com 16/15 - vantagem que seria ampliada para 18/15 nos lances seguintes. Com a diferença consolidada, a parceria fechou o primeiro set em 21/16, no quarto ponto de bloqueio de Talita.

Com o saque cadenciado, Larissa anulou a recepção adversária e o time abriu 3/0 logo no início da segunda etapa. Neste momento da partida, Tanja Huberli precisou de atendimento médico por conta de um problema no pé esquerdo. A pausa de quase cinco minutos esfriou a dupla brasileira, que viu as adversárias encostarem no placar, com 8/7. 

Na altura do tempo técnico, com 12/9, Larissa e Talita reajustaram o posicionamento em quadra e voltaram melhor para o jogo. As suíças se desconcentraram, levando duas advertências da arbitragem, e o Brasil deslanchou na reta final, abrindo seis pontos e alcançando o match point (20/14). Em novo erro não forçado suíço, Larissa e Talita fecharam o set em 21/15 e o jogo em 2 sets a 0.

"Uma vitória importante para passarmos em primeiro lugar na chave. É um campeonato longo, tem esse clima de Olimpíada, a concentração tem que estar em alta durante 10, 12 dias. Foi importante também a gente ter conseguido manter a forma de jogar, tudo isso fortalece nossa dupla para o que vem pela frente", afirmou Larissa após a partida.

"Estamos constituindo degrau por degrau, fazendo nossa história dentro do torneio, crescendo como time e firmes o tempo inteiro. É isso que vai fazer a diferença para, quem sabe, chegarmos à final", completou Talita.

Já Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) decidiram a primeira colocação na chave I diante de Nadine Zumkehr e Joana Heidrich, time número um da Suíça, e se deram bem na cidade-sede de Haia. A dupla adversária iniciou o jogo acionando muito Fê Berti no saque. 

A jogadora de 1,89m não se intimidou e, além de mostrar uma recepção segura, se impôs na rede, minando a confiança das rivais. O time suíço começou a apresentar muitos erros não forçados e em bela largada da paulista radicada no Rio de Janeiro, o Brasil abriu 18/12 e encaminhou a primeira etapa, finalizada em 21/14.

O início do segundo set também foi amplamente favorável ao país. Com moral no jogo, a dupla seguiu com Fernanda Berti se apresentando como um verdadeiro paredão na rede, e abriu 5/1. Zumkehr e Heidrich aceleraram o jogo para tentar reverter o placar, mas a resposta brasileira foi imediata, com grande contra-ataque de Taiana que levantou a torcida na arena instalada em Haia, para anotar 12/8. 

A dupla da suíça voltou a incomodar e encostou no placar, com 16/15, exigindo que Taiana e Fernanda Berti gastassem o pedido de tempo para reorganizar a estratégia. No entanto, o time rival seguiu pressionando e anotou dois pontos consecutivos, virando a partida em 16/15. Mas o Brasil voltaria a ditar o ritmo de jogo na etapa final. Além de virar o placar, as brasileiras alcançaram o match point, com 20/19, e fecharam o set no lance seguinte, em outro bloqueio imponente de Fê Berti.

"O início do Campeonato Mundial foi muito bom para nós. Conseguimos três ótimas vitórias e foi muito importante ficarmos em Haia, estamos bem adaptadas e a cidade nos trás sorte. Nosso time está entrosado e preparado para o que der e vier na próxima fase", declarou Taiana, lembrando o título do Grand Slam de 2014, na mesma cidade.

"Desde o começo da competição estamos com o pensamento de encarar cada jogo como se fosse o último. É assim que devemos continuar. O próximo jogo sempre será mais importante, e vamos à busca de mais vitórias", completou Fernanda Berti.


No último dia de disputa da fase de grupos do torneio masculino, mais duas duplas brasileiras se classificaram para a sequência da competição. Na tarde desta terça-feira (30), Ricardo/Emanuel (BA/PR), que já estavam garantidos, confirmaram a liderança da chave. Já Álvaro Filho/Vitor Felipe (PB) e Pedro Solberg/Evandro acabaram superados, mas conseguiram a classificação entre os melhores terceiros colocados.

As partidas da primeira rodada eliminatória (Round 32) foram definidos e acontecem nesta quarta-feira (01.07). Líderes do grupo C, com três vitórias, Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) entram em quadra às 14h (de Brasília), contra os franceses Youssef Krou / Edouard Rowlandson, em busca de uma vaga às oitavas de final do torneio. A partida será realizada em Apeldoorn. Os times já duelaram duas vezes, com duas vitórias do time brasileiro.

Ricardo e Emanuel, que terminaram o grupo G com três vitorias e a primeira colocação, terão pela frente Michal Kadziola e Jakub Szalankiewicz, da Polônia. A partida acontece às 16h (de Brasília), em Amsterdã. O último duelo entre os times havia acontecido em 2009, ainda na primeira parceria dos campeões olímpicos, que levaram a melhor. 

Pedro Solberg e Evandro (RJ), que avançaram como um dos oito melhores terceiros colocados, repetirão a partida da semifinal do Major Series de Stavanger contra os poloneses Grzegorz Fijalek e Mariusz Prudel. Os times se enfrentam às 13h (de Brasília), em Roterdã. Na oportunidade, os cariocas venceram e conquistaram o torneio naquele mesmo dia.

Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB) terão pela frente os atuais campeões mundiais, os holandeses Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen. O duelo ocorre às 15h, em Roterdã. Os times já se enfrentaram uma vez na história, com vitória da dupla da casa.

No confronto mais aguardado pelo grupo G, Ricardo e Emanuel (BA/PR) encararam os espanhóis Pablo Herrera e Adrian Gavira, que na última semana, na fase de oitavas do Grand Slam de São Petersburgo, haviam vencido os brasileiros por 2 sets a 0. Hoje, com a arena lotada em Amsterdã, os atuais campeões olímpicos devolveram a derrota por 2 sets a 0 (24/22, 21/18).

Logo no início do primeiro set, a dupla conseguiu quebrar o serviço adversário e abrir 7/4. A Espanha se recuperou e, com Gavira bem no saque, empatou o jogo em 9/9. Pouco depois virou para 14/13. Após levantamento preciso de Emanuel, Ricardo cravou a bola do outro lado da rede para igualar novamente o marcador, em 16/16. O set seguiu equilibrado até a reta final, com os espanhóis passando mais uma vez a ter vantagem em número de pontos.

Pablo Herrera parou Ricardo no block e alcançou o ponto do set, mas Emanuel, no lance seguinte, deixou novamente o placar em igualdade, com 21/21. A parceria verde e amarela conquistaria mais duas oportunidades de fechar a primeira etapa, encerrada em 24/22.

Ricardo e Emanuel não deixaram o ritmo cair no início do segundo set, e com facilidade abriram 7/2. Precisando reverter o placar, o time espanhol começou a acumular sucessivos erros não forçados e o Brasil seguiu no comando do jogo.

Na reta final, Herrera e Gavira passaram a encaixar boas bolas, e diminuíram a diferença que havida sido de seis pontos para apenas um, com 19/18. Mas os brasileiros não se intimidaram e alcançaram o match point no lance seguinte, após bela largada de Emanuel. O paranaense ainda fecharia o set de maneira triunfal. No principal rally do jogo, Emanuel explorou o bloqueio adversário para fechar o set em 21/18 e o jogo em 2 sets a 0.

"Sabíamos que o jogo seria muito duro, na última competição eles acabaram vencendo nossa equipe. Mudamos a estratégia para essa partida, e deu certo. O Emanuel foi muito feliz, virou quase todas as bolas do jogo. Mantivemos o ritmo e fizemos com que eles precisassem mudar os planos no meio da partida", analisou Ricardo.

"Passar em primeiro lugar no grupo é muito importante pelo fator emocional, você já chega concentrado e motivado para o próximo jogo. Também por você pegar um adversário que foi terceiro colocado em outra chave, então temos essa vantagem. Fizemos um trabalho muito bacana nesse grupo, a gente cresceu na hora certa", disse Emanuel.

Na cidade-sede de Roterdã, Pedro Solberg e Evandro (RJ) encararam Alexander Walkenhorst e Stefan Windscheif, da Alemanha, precisando de uma vitória para não depender de outros resultados para se classificar à sequência do campeonato. Os brasileiros começaram bem, mas acabaram permitindo a virada por 2 sets a 1 (10/21, 21/18, 15/12).

Evandro começou muito bem, anotando 3/0 no saque. A dupla ampliou a vantagem para 11/5 com ótima leitura de Pedro Solberg na rede, e na sequência abriu dez pontos. Dominante, o time fechou a primeira parcial em 21/10. Pedro e Evandro começaram o segundo set com o camisa um marcando 7/3. Mas, os alemães passaram a gostar do jogo e levaram a melhor no set, com 21/18, forçando o tie-break. O set de desempate foi disputado lance a lance até a casa dos 11 pontos. A partir daí, a Alemanha foi mais eficiente e fechou a etapa final em 15/12.

O último confronto brasileiro do dia na Holanda foi uma verdadeira pedreira para Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB). Os norte-americanos Jake Gibb e Casey Patterson, campeões da última etapa do Circuito Mundial, começaram dominando o jogo, e em um ace de Patterson abriram 16/9. Após erro não forçado de Álvaro Filho, os Estados Unidos levaram o primeiro set em 21/12.

Em desvantagem, os paraibanos aceleraram o jogo no início do segundo set, e em grande lance de Vitor Felipe abriram 4/2. O time adversário reagiu, e igualou o marcador em 9/9. As equipes seguiram alternando bons momentos e trocando pontos na sequência da etapa, e na reta final Alvinho explorou o bloqueio de Casey Patterson para fechar o set em 21/17.

Logo no início do terceiro set os norte-americanos emplacaram três pontos de vantagem sobre os brasileiros - diferença que seria determinante para o resultado do jogo. Na raça, Álvaro Filho e Vitor Felipe pressionaram os rivais e diminuíram a diferença para dois pontos, com 10/8. Só que Casey Patterson desequilibrou no fim da partida e fechou o set em 15/10 e o jogo em 2 sets a 1.

Fotos: FIVB

Nenhum comentário:

Postar um comentário