Jogadores pedem e Wimbledon sobe prêmios para cerca de R$ 100 milhões


Um dos quatro torneios mais nobres do tênis, Wimbledon tem um grande atrativo: o Grand Slam terá um aumento de 10% em sua premiação e distribuirá cerca de R$ 100 milhões aos tenistas. Só o campeão levará mais R$ 7 milhões e quem perder na primeira rodada ganhará o equilavente a R$ 34 mil. A mudança atendeu a um pedido dos jogadores mais bem ranqueados. Eles reclamavam da desproporção entre o pagamento de quem chega às fases finais e de quem perde nas primeiras rodadas.

- É uma forma de reconhecer o talento que eles trazem para o evento. O segundo ponto é de uma análise nossa, já que é um Grand Slam e temos uma reputação a zelar em relação aos prêmios - disse o relações públicas de Wimbledon, Johnny Perkins.

O aumento da premiação também indica o crescimento do faturamento do torneio. Perkins esconde valores recebidos de patrocínios e bilheterias, mas ele revela iniciativas que mostram a alta rentabilidade do torneio. Para a atual temporada, os organizadores decidiram alugar 2.500 cadeiras centrais ao público, por cinco anos, por R$ 200 mil cada. E a iniciativa gerou um faturamento de R$ 500 milhões.

- Em relação aos nossos patrocinadores, temos poucos, talvez uns 12. Muito dinheiro vem dos espectadores que vem aqui. Mas, na verdade, a maior parte do dinheiro vem dos direitos de transmissão

A alta quantia, entretanto, está preocupando os organizadores. Eles temem que os atletas escondam lesões para que possam participar da estreia e assim faturar o prêmio. Entre os homens, o britânico Andy Murray é o atual campeão. No feminino, a chinesa Na Li venceu em 2013.


Fonte: SporTV.com

0 Comentários