Contando a História: Holanda vence o México nos acréscimos e está nas quartas-de-final - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Contando a História: Holanda vence o México nos acréscimos e está nas quartas-de-final

Compartilhe
 Foi o jogo típico de Copa do Mundo. Holanda e México se enfrentaram em Fortaleza e fizeram um grande jogo e não poderia ser mais emocionante.

O primeiro tempo não traduziu o que foi a fase de grupos para a Holanda. Ela que vinha surpreendendo a todos com uma excelente campanha, estava jogando por apenas uma bola. Mas quem surpreendeu foi o México, que praticamente não se acanhou no jogo de forma alguma e foi pra cima da Holanda, criando assim, as melhores chances de gol no primeiro tempo. O treinador mexicano, Miguel Herrera foi inteligente ao montar um esquema para dominar o meio-campo e deu certo. Mas todas as chances estavam parando no goleiro holandês Cillessen. No final do primeiro tempo, Robben caiu na área junto com Moreno, mas o próprio Robben admitiu em entrevista pós-jogo que se jogou e não deveria fazer isso. Então, cabe a FIFA o punir por atitude anti-desportiva.

Logo no início do segundo tempo, aos três minutos, Giovanni dos Santos aproveitou o espaço e deu um belo chute para vencer Cillessen. O México abriu o placar e finalmente, avançaria as quartas-de-final depois de cair tantas vezes seguidas nas oitavas-de-final? Parecia que sim, mas o futebol é imprevisível. Em um jogo qualquer, ainda mais em uma Copa do Mundo, tudo poderia acontecer. Aos 12 minutos, apareceu o goleiro Ochoa. Em escanteio cobrado por Robben, De Vrij cabeceou a queima-roupa e Ochoa operou um milagre. Além disso, provou ser um grande goleiro nessa Copa e não duvidaria de ele se transferir para um grande time. 

Em contra-partida, a Holanda começou a pressionar. E Miguel Herrera colocou Aquino para tentar segurar a pressão mas ela cresceu. E como eu disse o futebol é imprevisível. Robben cortou para direita (olha só, quem diria) e finalizou com a direita mesmo, mas Ochoa fez uma grande defesa. Miguel Herrera e Louis Van Gaal fizeram alterações, mas a do Van Gaal me chamou a atenção. Ele trocou Van Persie que em 71 minutos só deu uma finalização no jogo, por Huntelaar que iria estrear na Copa e a Holanda estava precisando de gols, então o que se imaginava era que tirasse um meio-campista para jogar ao lado de Van Persie. Eu não esperava que Huntelaar fosse fazer algo, até porque ele não é um grande jogador e não sabia o que esperar dele em vinte minutos.

Depois da parada técnica, a Holanda voltou com a pressão. O ditado diz: ''água mole, pedra dura, tanto bate até que fura'' e foi exatamente assim no jogo. Depois de tanto pressionar, aos 42 minutos, Robben cobra escanteio, Huntelaar ajeita de cabeça para Sneijder encher o pé e marcar um golaço. Dessa vez Ochoa nada pode fazer. Era o empate da holanda. Todos que assistiam o jogo, estavam aguardando por prorrogação, quando Robben, sempre ele sofreu o contato de Rafa Márquez. O holandês caiu na área e o juiz marcou o pênalti. Apesar das reclamações do zagueiro mexicano, não há o que discutir, pênalti. Rafa Márquez foi infantiu e deu o bote na hora errada e acertou Robben. Huntelaar que entrou bem no jogo,  bateu com perfeição, virando o jogo, calando a boca de quem vos escreve e deu números finais a partida. Holanda classificada 2, México, 1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário