Traçado de Brands Hatch para o HandCycling, por Alex Zanardi



Zanardi em Brands Hatch, no mês de junho
(Foto: brandshatch.com.uk)

Paulo Abreu (@Voltarapida)


A pista de Brands Hatch receberá nos dias 5,6 e 7 de setembro próximo as provas de Time Trial, de Rua e Revezamento do HandCycling, válidos pelos Jogos Paralímpicos de Londres. Alex Zanardi, mais outros 150 competidores da modalidade, estiveram no circuito inglês para um evento oficial - realizado em junho - que serviu para conhecerem o percurso, que foi elogiado pela União Internacional de Ciclismo como “o melhor local para competições ciclísticas” devido ao traçado cheio de aclives e declives. Zanardi também elogiou a escolha: "O curso não poderia ser melhor, é fantástico"


Alex conversou com o pessoal do site do autódromo de Brands Hatch e falou da dificuldade da última parte da pista, que é feita em subida: "A última parte é a mais difícil, porque se fizer as coisas direito terá um grande prazer pessoal. Mas quando você chegar à penúltima escalada indo para o hairpin (Druids) não é provavelmente a área mais fácil e você estará muito cansado, mas você sabe que estará mais ou menos perto o suficiente em termos de tempo para os seus adversários e esta é a área onde saberá se vai ganhar ou perder a corrida. Você tem que ser realmente capaz de fazer a diferença nas duas últimas subidas.

"Conhecendo o circuito melhor do que ninguém eu pensei que iria saber onde negociar os pontos de frenagem, onde abrandar e tomar as linhas certas, mas, na realidade, o curso é tão grande que você nem sequer usa os freios a não ser na primeira curva. Mas eu realmente gostei, é fantástico.”Sobre a sua simulação no evento, Zanardi pareceu satisfeito: "Tecnicamente falando, eu acho que realmente se adapte ao meu melhor talento, mas você tem que ser forte, tem que ser capaz de resistir a distância do time trial principalmente. Mas você também tem que ser inteligente, porque há algumas áreas em que se você continua empurrando não vai chegar à linha da melhor maneira. Acho que fiz 95% certo na simulação que realizei hoje, mas tudo é perfectível por isso vou tentar resolver isso com o meu treinador e voltar mais forte em setembro.”

Sobre o seu futuro após as Paralímpiadas, Zanardi não sabe ao certo o que fazer ainda, mas disse que se a oportunidade voltar às corridas aparecer, este será o seu próximo desafio após três anos de dedicação total ao HandCycling que lhe rendeu vitórias nas Maratonas de Nova Yorque (2011) e de Roma (2012). 

Fonte: espnf1.com e brandshatch.com.uk

0 Comentários