Muhammad Ali: 70 anos de um eterno campeão. - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Muhammad Ali: 70 anos de um eterno campeão.

Compartilhe
                       Pódio de Roma 1960, quando ainda era Cassius Clay

  Hoje é um dia especial. Uma lenda completa 70 anos: Muhammad Ali, um lutador tanto fora quanto dentro do ringue. Mas poucos sabem que ele tem uma medalha de ouro em olimpíadas, e falaremos dela e um pouco das repercussões fora do tablado.
 Muito antes de se converter para o islamismo, ele ainda se chamava Cassius Marcellus Clay (USA), um jovem de 18 anos que viajou para Roma, saído de Louisville, Kentucky, com esperanças de ganhar o ouro olímpico. Clay floresceu na atmosfera da Vila Olímpica, tagarelamente se apresentando aos atletas de todos os países, brincando com eles e tirando foto com eles.
 No ringue ele estava em seu ambiente, depois de vencer Yan Becaus (BEL) na segunda rodada, derrotou o campeão olímpico dos pesos médios de Melbourne 1956, Gennadiy Shatkov (RUS/URS) e também venceu Anthony Madigan (AUS) na semifinal, todas por decisões unanimes.
 Na final, enfrentou o três vezes campeão europeu Zbigniew Pietrzykowski (POL), que tinha no currículo 231 lutas. Clay passou os dois primeiros rounds desviando rapidamente de todos os seus golpes. Então no último round Cassius foi pra cima e subjugou o polonês, ganhando a final por decisão unânime dos juízes.
 Após a luta, em uma conferência de imprensa, um repórter soviético perguntou a Clay como se sentia sendo negro e proibido de comer em certos restaurantes nos EUA. Sentindo que o reporter queria explorá-lo, Clay respondeu "russo, nós temos homens qualificados trabalhando nesse problema. Nós temos os maiores e melhores carros. Nós temos toda a comida que pudermos comer. Os EUA são o maior país do mundo, e mesmo tendo lugares que eu não posso comer. Eu tenho mais lugares aonde eu posso comer - mais lugares em que eu possa comer do que eu não possa".
 Mas a maior lenda refere-se a como a medalha de ouro de Ali se perdeu. O lutador fala que, frustrado por tudo em que ele acreditava (em relação ao preconceito com os negros nos EUA) era meramente ilusão, teria jogado a medalha no rio Ohio depois de se envolver em uma briga violenta com uma gangue que agredia negros. Outros dizem que Ali simplesmente perdeu a medalha de ouro. Anos depois, em 3 de agosto de 1996, durante os jogos de Atlanta, o COI entregou uma medalha de ouro substituta, durante o intervalo da final olímpica do basquete masculino. Assim devolvendo uma medalha de ouro a um atleta de ouro.
                               Ali, recebendo a medalha perdida em 1996.



Nenhum comentário:

Postar um comentário