Finais do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, em Roma, apimentam a disputa por vagas em Tóquio 2020



As finais do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, que acontecerão entre quarta-feira a domingo (4 a 8 de setembro), no Foro Italico, em Roma, marcam o fim do calendário do circuito 2018-19 e ganham novo formato. A grande quantidade de duplas - 63 masculinas e 55 femininas, de 28 países - estará não só brigando pelo título, como também pela corrida olímpica. As duplas vencedoras no masculino e feminino somarão 1.200 pontos na qualificação para Tóquio, ao contrário das quatro edições anteriores das finais do circuito, que não contavam pontos para o ranking olímpico. 

Com a volta do World Tour à capital italiana, que sediou as finais pela última vez em 2013, a competição começa na quarta-feira com o torneio qualificatório, onde oito duplas por gênero avançam para as rodadas de abertura da chave principal, na quinta-feira. 

Com 32 equipes por gênero competindo na chave principal, os vencedores dos oito grupos de quatro avançam para a segunda rodada. Os segundos e terceiros colocados de cada grupo competem na primeira rodada eliminatória com a quarta dupla de cada grupo.

As rodadas de 24 duplas masculinas e 16 femininas serão disputadas na sexta-feira, deixando as quartas-de-final e semifinais para o dia 7. Os jogos de disputa pelo título serão disputados no final da tarde de 8 de setembro, com as equipes vencedoras conquistando o prêmio de $ 40.000, de um total de $ 60 mil.

“A Federação Internacional de Vôlei decidiu alterar a forma de disputa para permitir a participação de um maior número de atletas nas finais do circuito, já que essa última etapa contará pontos para a corrida das vagas para Tóquio. Ajustamos o formato para dar chances a mais duplas e realizar um grande evento”, explicou Ary Graça, presidente da FIVB.

Processo de qualificação olímpica
As finais do Circuito Mundial são o terceiro evento nesta temporada a conceder 1.200 pontos aos vencedores. Os outros dois eventos de 1.200 pontos foram disputados na Suíça (Gstaad) e na Áustria (Viena). Um segundo lugar nas finais da turnê mundial da FIVB registra 1.080 pontos para um time, com 960 pontos para o terceiro, 840 para o quarto, 720 para o quinto, 600 para o nono, 480 para o 17º, 360 para o 25º, 240 para o 33º e 60 para o 41º.

Com 24 equipes por gênero competindo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, 15 vagas (no máximo duas equipes por país) serão concedidas às duplas mais bem classificadas no FIVB World Tour, no final do período de qualificação, com os 12 melhores resultados de uma dupla contando para a qualificação. Até hoje, foram realizados 45 eventos de qualificação para homens e 45 para mulheres, desde 1º de setembro de 2018, com o período de qualificação se estendendo até 15 de junho de 2020. 

As duas primeiras vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio já foram concedidas a Melissa Humana-Paredes / Sarah Pavan, do Canadá, e Viacheslav Krasilnikov / Oleg Stoyanovskiy da Rússia, duplas vencedoras do Campeonato Mundial, disputado em julho, em Hamburgo, na Alemanha.

A próxima chance para somar pontos para Tóquio será na China, onde 16 duplas por gênero (máximo uma por país) estarão competindo em Haiyang, entre 18 e 22 de setembro.

Com o anfitrião Japão recebendo uma vaga por gênero, os cinco últimos lugares serão determinados pelo caminho da Copa Continental para as Confederações africana, asiática, européia, NORCECA e sul-americana.

Foto; FIVB

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes