Surto História - A volta ao mundo de Anésio Argenton



Nascido em Araraquara, Anésio Argenton ganhou sua primeira bicicleta aos 16 anos e não parou mais de pedalar desde então. Alto e forte, Anésio foi o ciclista que mais se destacou na forte equipe de ciclismo do Ferroviário de Araraquara. E logo  a cidade do interior de São Paulo ficou pequena com as conquistas de Argenton em nível sul-americano.

Em 1955, ele estreou em Jogos Pan-americanos, mas por conta da longa viagem que a delegação brasileira teve que fazer (Já citada quando falamos sobre o tri pan-americano de Adhemar Ferreira da Silva) Anésio não conquistou medalhas. Afinal ficar 5 dias viajando não fez nada bem para um ciclista de provas desgastantes.

E um ano depois, Anésio faria outra viagem cansativa, agora a Melbourne, sede das olimpíadas de 1956. foram quase uma semana para chegar até a cidade australiana e somente ele e sua bicicleta. Por falta de verbas, Anésio não pode levar técnico, mecânico, nada além da sua vontade de brilhar. Teve a ajuda de Kid Jofre, que treinava seu filho boxeador (E futura lenda na época) Eder, como massagista. Na provas de ciclismo pista de sprint acabou não indo bem, mas no contrarrelógio de 1000m, ele conseguiu uma ótima nona colocação.

Em 1959, em ótima fase e tendo uma viagem mais confortável, Anésio brilhou e faturou o ouro nos jogos pan-americanos de Chicago no contrarrelógio de 1000m. Até hoje é o único ouro do ciclismo brasileiro em jogos pan-americanos. 

No ano seguinte, Argenton foi mais uma vez disputar os Jogos olímpicos, agora em Roma, só ele e a bicicleta, que ao menos era moderna como a de seus adversários. E ele fez bonito: no sprint, caiu nas quartas de final e terminou em quinto; E no contrarrelógio, ficou em sexto. Este foi o melhor resultado de um ciclista brasileiro em Jogos olímpicos

Anésio ainda disputou mais dois Jogos Pan-Americanos: em  São Paulo 63, ele ficou com a medalha de bronze em sua principal prova, o Contrarerrelógio e em Winnipeg 67, saiu sem medalhas e anunciou o fim de sua carreira. Anésio virou celebridade em Araraquara e entre os ciclistas brasileiros. Sua silhueta fez parte por muitos anos do logo da Caloi, empresa de bicicletas que ele representou durante a carreira. Anésio faleceu aos 80 anos em 2011, sendo considerado o maior ciclista brasileiro da história.

*O título foi inspirado em documentário de curta metragem que conta a história de Anésio e você pode assist1-lo neste link: http://tvbrasil.ebc.com.br/memoriadoesporteolimpicobrasileiro/episodio/a-volta-ao-mundo-de-anesio-argenton

fotos: Museu do futebol e do esporte de Araraquara/ divulgação

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes