Últimas Notícias

Austrália deixa IBA visando garantir o Boxe no programa olímpico de Brisbane 2032

Atleta da Austrália durante luta de boxe. - Reprodução: arquivo / boxing.org.au

 

A Boxing Australia afirmou que sua decisão de deixar a Associação Internacional de Boxe (IBA) não afetará seus preparativos para os Jogos Olímpicos do próximo ano em Paris. O órgão regulador nacional foi um dos seis novos membros, que tiveram confirmados o pedido para ingressar no grupo World Boxing.


A decisão segue a posição do Comitê Olímpico Internacional (COI) em junho, de retirar o reconhecimento do IBA devido a problemas financeiros, de governança e de credibilidade das competições. Como consequência da saída da IBA, os membros do Boxing Australia, incluindo atletas, treinadores, árbitros e juízes, não podem participar de nenhum evento que organizem.

 

“Não enviaremos equipe para o Campeonato Mundial Júnior IBA de 2023 e estamos trabalhando em um campeonato alternativo para participar. Isso, de forma alguma, afeta nossos atletas que vão para as Olimpíadas de Paris e a preparação continuará garantindo a melhor forma de competir. O COI está conduzindo o processo de qualificação para Paris 2024 e executará o programa de boxe nos Jogos do ano que vem”, disse o presidente da Boxing Australia, Phil Goodes.

 

Goodes afirmou ainda que, ao ingressar no World Boxing, a organização australiana mostra que acredita que o esporte pode retomar um futuro mais ordenado e sustentável como um esporte olímpico central e admitiu que garantir o futuro do esporte nas Olimpíadas ajudou a impulsionar a decisão do Boxing Australia, já que Brisbane sediará os Jogos em 2032.

 

"É um momento histórico para o boxe australiano, pois buscamos o objetivo de garantir que nosso esporte continue fazendo parte do programa olímpico. Nossos membros estão na vanguarda desta decisão, enquanto olhamos além de Paris para Los Angeles 2028 e os Jogos em casa em Brisbane 2032. Como um esporte tradicional e tendo feito parte das Olimpíadas desde o início, o Boxing Australia continuará a garantir que continuemos fazendo parte do programa olímpico para nossos futuros atletas", disse ele.

 

A Austrália ainda está esperando para ganhar sua primeira medalha de ouro olímpica no boxe, apesar de ter sido representada em todos os torneios desde Berlim 1936. Eles ganharam um total de cinco medalhas, incluindo um bronze para Harry Garside nas Olimpíadas de 2020 reorganizadas na divisão dos meio-pesados.

 

Foi a primeira medalha olímpica da Austrália no esporte desde Seul 1988, quando Grahame Cheney conquistou a medalha de prata na divisão dos meio-médios. Antes disso, a Austrália havia conquistado duas medalhas de bronze em Roma 1960 graças a Oliver Taylor no peso galo e Tony Madigan no meio-pesado.

 

Madigan foi derrotado nas semifinais pelo eventual medalhista de ouro dos Estados Unidos Muhammad Ali, lutando sob o nome de Cassius Clay na época. A outra medalha olímpica da Austrália no boxe veio em seus jogos em casa em Melbourne 1956, quando Kevin Hogarth conquistou o bronze na divisão dos meio-médios.


0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar