Últimas Notícias

IBA alerta contra “aproveitadores”, após boicote mundial de EUA e Irlanda

Presidente da IBA sobre uma bancada roxa com o nome da entidade
Reprodução: REUTERS/Denis Balibouse 


A Associação Internacional de Boxe (IBA) fez um alerta, em comunicado nesta sexta-feira (10), de que buscaria "fortes sanções contra aqueles que iniciarem e aderirem ao boicote de participação" em suas competições. O presidente da IBA, o russo Umar Kremlev, pediu que os aproveitadores sejam retirados dos assuntos do boxe.

 

Ele disse ainda que nenhum administrador ou político tem o direito de "privar" os atletas de seus sonhos de se tornarem campeões mundiais. O IBA, órgão dirigente do boxe amador, liderado pela Rússia, se ofereceu para financiar boxeadores norte-americanos e irlandeses que desejam competir nos campeonatos mundiais deste ano depois que suas federações nacionais decidiram boicotar os torneios.

 

"Os boxeadores dedicam toda a sua vida ao esporte, enquanto administradores e políticos vêm e vão. Aqueles que estão fazendo isso com nossos atletas são piores que hienas e chacais, violam a integridade do esporte e da cultura. Peço a todos os meus colegas que limpem suas organizações de tais hienas", disse Kremlev em um evento internacional em Marrakesh, no Marrocos.

 

O Estados Unidos anunciou na quarta-feira que não participará do campeonato mundial feminino em Nova Delhi no mês que vem e do torneio masculino em Tashkent, no Uzbequistão, em maio. O CEO do USA Boxing, Mike McAtee, escreveu aos membros que a participação "violaria não apenas as sanções do COI reafirmadas em 2 de fevereiro, mas também os princípios de jogo limpo, integridade e transparência".

 

A Associação Irlandesa de Boxe Atlético (IABA) disse na sexta-feira que seus boxeadores, árbitros e juízes também ficarão afastados.


Nesta terça-feira (14), foi a vez de Grã-Bretanha e a República Tcheca se juntarem aos Estados Unidos e à Irlanda no boicote aos campeonatos mundiais de boxe amador. Em comunicado a GB Boxing disse que sua decisão reflete "as preocupações sobre o futuro do lugar do boxe no programa olímpico e o recente movimento da IBA para permitir que boxeadores da Rússia e de Belarus compitam sob suas bandeiras nacionais, o que contraria as resoluções aprovadas pelo COI.”


O presidente da Associação Tcheca de Boxe, Marek Simak, disse à rádio nacional que os boxeadores de seu país estariam evitando os dois campeonatos.

 

O IBA foi retirado do envolvimento nas Olimpíadas de Tóquio em 2020 e o boxe não está no programa inicial para os Jogos de Los Angeles em 2028, dependendo das reformas exigidas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Em dezembro, o COI levantou a possibilidade de o boxe ser excluído dos Jogos de Paris de 2024, acusando a IBA de "não ter nenhum interesse real" no esporte ou em seus atletas. A classificação para Paris está sendo organizada pelo COI.

 

A IBA, apoiada pela empresa de energia russa Gazprom, desde outubro reverteu as proibições de boxeadores da Rússia e de Belarus competirem com bandeiras e hinos nacionais, apesar da guerra na Ucrânia. Ele diz que vem implementando reformas e cultivando uma nova cultura em um esporte cujo passado foi manchado por corrupção e controvérsia.

 

"A IBA convida as seleções dos Estados Unidos e da Irlanda para virem aos campeonatos mundiais e participarem sob suas bandeiras e hinos", afirmou. "O IBA cobrirá todas as despesas necessárias com os recursos do FSP (Programa de Apoio Financeiro)".


0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar