Últimas Notícias

Judoca Rafaela Silva é prata no Grand Prix de Portugal

Foto: IJF



A bicampeã mundial e campeã olímpica, Rafaela Silva, começou 2023 com medalha no peito. Nesta sexta-feira, 27, primeiro dia do Grand Prix de Portugal, a judoca brasileira venceu quatro lutas e sucumbiu apenas na final diante da sul-coreana Mimi Huh. Foi a primeira medalha do judô brasileiro no ano. A competição continua neste final de semana, com mais chances para o Brasil.

Na estreia, Rafa venceu a húngara Kitti Kovacs, com duas projeções por waza-ari e avançou às oitavas, onde superou Christiane Vital, de Madagascar, com um ippon relâmpago nos primeiros segundos de luta.

Nas quartas, Rafaela encarou maior dificuldade contra Nilufar Ermaganbetova, do Uzbequistão, e venceu a luta nas punições (3-2).

Para chegar à final, a brasileira precisou de muita paciência e resistência em combate que durou onze minutos com a jovem Thauany Cappanni Dias, brasileira que luta pela Itália atualmente. Sem projeções, o confronto foi decidido nas punições, com vantagem para Rafaela (3-2).

Thauany foi formada no Brasil e chegou a integrar a equipe do Instituto Reação, onde compartilhou o tatame com Rafaela. Sua família mudou-se para Itália, quando o irmão de Thauany recebeu uma oportunidade de jogar futebol em um grande clube italiano. Ela conseguiu a cidadania e seguiu o sonho nos tatames. Ao final da luta, Rafaela abraçou-a e disse palavras de incentivo para a novata, que termino o dia com uma medalha de bronze, sua primeira no circuito adulto.

Na decisão, veio o reencontro com uma adversária que se tornou uma pedra no sapato de Rafaela, a sul-coreana Mimi Huh uma das novas caras no circuito neste ciclo olímpico. A luta desenrolou-se no tempo normal com muita disputa pela melhor pegada e com a brasileira tentando uma estratégia de antecipar os ataques para evitar as entradas em sequencia da coreana, que vencera Rafaela nas últimas três lutas que fizeram.

Após duas punições para cada, Huh conseguiu encaixar um golpe e projetou Rafa para ficar com o ouro. Rafaela chegou a sentir o ombro e o joelho em dois lances de impacto, mas as avaliações preliminares da equipe médica da CBJ não trouxeram preocupação. A judoca será reavaliada nos próximos dias, já que está escalada para o Grand Slam de Paris, no próximo final de semana.

Sétimo lugar para Jéssica Pereira (57kg) e Eric Takabatake (66kg)

O Brasil teve outros dois brasileiros entre os oito melhores de suas categorias neste primeiro dia de Grand Prix. Jéssica Pereira (57kg) e Eric Takabatake (66kg) chegaram às quartas-de-final e pararam na repescagem pelo bronze, terminando em 7º lugar.

Phelipe Pelim (66kg), Matheus Takaki (60kg), Ryan Conceição (60kg), Natasha Ferreira (48kg), Amanda Lima (48kg), Yasmim Lima (52kg) e Thayná Lemos (52kg) também lutaram nesta sexta, mas não conseguiram avançar às finais de suas categorias.

Mais seis brasileiros lutarão neste sábado, 28: Michael Marcelino (73kg), Eduardo Yudy (81kg), Gabriella Mantena Moraes (63kg), Ellen Froner (70kg) e Aléxia Castilhos (70kg).

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar