COB lança série de minidocumentários com integrantes do Hall da Fama


Você sabe o que Fofão, capitã da seleção feminina de vôlei ouro em Pequim 2008, escreveu para motivar as atletas antes da final olímpica? Faz ideia de como o boxeador Servílio de Oliveira fez para ganhar de um adversário quase 10cm mais alto e garantir o bronze no México em 1968? Reconhece quem foram os atletas que cantaram o hino nacional para Aurélio Miguel receber seu ouro no Mundial Júnior de judô em 1983?

Todas essas perguntas serão respondidas pelos três integrantes do Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB) na série de minidocumentários que serão lançados no Canal Olímpico do Brasil e no Youtube do Time Brasil a partir desta quarta, 25. O conteúdo é um desdobramento do projeto de valorização da memória olímpica brasileira, criado em 2018, e que faz parte do início das comemorações de 108 anos do COB, celebrados no próximo dia 8 de junho, dia da publicação do terceiro e último vídeo, com Servílio de Oliveira. Fofão abre a sequência de minidocumentários.

O projeto começou com a confecção dos moldes das mãos ou pés das lendas esportivas. Evoluiu, em junho de 2021, para grandes perfis digitais, verdadeiras fontes de consultas e de registro histórico, no portal do COB, o chamado Hall da Fama Digital. Já são 21 homenageados, entre atletas e treinadores de modalidades olímpicas, com biografias detalhadas e grande acervo de fotos e vídeos em parceria com COI, Confederações e imprensa. O mais novo perfil é o da Fofão, capitã da seleção feminina de vôlei, ouro em Pequim 2008. Clique aqui para acessar.

Num passo mais recente, foi lançado, em cerimônia especial no primeiro dia do II Congresso Olímpico Brasileiro, o projeto Memória Olímpica. A ideia é incentivar a doação de objetos e material esportivo das participações dos atletas brasileiros em Jogos, outro ponto do projeto da área de Cultura e Valores Olímpico do COB, responsável pelo acervo histórico-cultural da entidade, é o registro de depoimentos da trajetória esportiva de cada ídolo.

Os vídeos com cerca de 10 minutos de duração trazem, além de entrevistas com os medalhistas olímpicos que fazem revelações inéditas, imagens raras conseguidas pelo COB com diversas fontes. Os minidocumentários são mais uma ação do Comitê para valorizar os nomes que construíram a história do esporte olímpico brasileiro. As ações começaram em 2018, com a criação do Hall da Fama, com o objetivo de exaltar, difundir e eternizar aqueles que fazem a história do Movimento Olímpico do país. Ao todo, já são 28 nomes indicados para o Hall da Fama. Todos os integrantes terão seus moldes expostos em um espaço de preservação da memória olímpica montado pelo COB.
Outros homenageados no Hall da Fama digital do COB

O perfil completo de Fofão na área especial do site do COB se junta a outros 21 grandes nomes com páginas no Hall da Fama virtual do COB. São eles: Adhemar Ferreira, Paula, Sebastián Cuattrin, Tetsuo Okamoto, Bernardinho (vôlei), Chiaki Ishii (judô), Guilherme Paraense (tiro esportivo), Hortência (basquete), Jackie Silva (vôlei de praia), Joaquim Cruz (atletismo), João do Pulo (atletismo), Maria Lenk (natação), Sandra Pires (vôlei de praia), Sylvio Padilha (atletismo), Torben Grael (vela) , Vanderlei Cordeiro (atletismo), Zé Roberto Guimarães (vôlei) Aída dos Santos (atletismo), Bernard Rajzman (vôlei) e Wlamir Marques (basquete).

Postar um comentário

To Top