Mais de 15 tenistas brasileiros devem ser beneficiados por programa de auxílio da ATP e WTA - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Mais de 15 tenistas brasileiros devem ser beneficiados por programa de auxílio da ATP e WTA

Compartilhe

O Brasil deverá ter 17 tenistas, entre homens e mulheres, auxiliados pelo programa de assistência aos atletas da modalidade, criado em uma parceria entre a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), a Associação de Tênis Feminino (WTA) e as organizações dos quatro torneios Grand Slam (Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open) para reduzir o impacto financeiro causado pela pandemia de coronavírus e a paralisação do circuito. 

De acordo com um levantamento realizado pelo site especializado Tênis News Brasil, nove tenistas homens, que disputam o circuito em simples e dois em duplas estão elegíveis para o benefício. Entre as mulheres, seis tenistas deverão ser auxiliadas. O programa abrange atletas até a posição 500 no ranking de simples e 175 nas duplas, havendo outros critérios relacionados ao ganho de premiação durante 2019 e durante os últimos quatro anos, que você pode conferir aqui.  

Segundo informações do Tênis News Brasil, a relação dos tenistas que receberão essa assistência, entre os homens, é a seguinte: Thiago Wild (114º), João Menezes (185º), Guilherme Clezar (270º), Pedro Sakamoto (297º), Orlando Luz (301º), Felipe Meligeni (349º), Oscar Gutierrez (385º), Bruno Santanna (430º) e Rafael Matos (483º) entre os atletas de simples, que devem receber duas parcelas de US$ 4.325 mil (R$ 23,7 mil). Fernando Romboli (93º) e Fabricio Neis (175º) são integrantes do ranking de duplas que receberão duas parcelas de US$ 2.165 (cerca de R$ 12 mil).

Já entre as mulheres, a lista é a seguinte: Gabriela Cé (232ª), Teliana Pereira (372ª), Thaísa Pedretti (385ª), Carol Meligeni (402ª), Laura Pigossi (414ª) e Paula Gonçalves (454º), todas em simples, que receberão um total de US$ 10.400 (cerca de R$ 58.240) pagos em duas parcelas.

Entre atletas que estariam elegíveis para o auxílio, pelo ranking, mas que ultrapassam a quantidade de ganhos com premiações, está Rogério Dutra Silva, atual 424 do ranking da ATP. Ele faturou pouco mais de US$ 1 milhão nos últimos quatro anos, descumprindo um dos requisitos da ATP. 

A equipe de reportagem do Surto Olímpico tentou contato com Rogério Dutra Silva, para falar a respeito do não recebimento do benefício e o momento vivido durante a pandemia, mas até o fechamento deste texto não houve resposta por parte do atleta.  

Ainda há dúvida sobre a elegibilidade de Thomaz Bellucci, que segundo cálculos do Tênis News Brasil, ganhou US$ 950 mil de premiação nos últimos quatro anos. 

Entre as mulheres, Beatriz Haddad Maia, atual 286, possivelmente não receberá a assistência, porque ficou suspensa até dia 22 de maio, mas isso ainda deverá ser confirmado pela WTA. 

Auxílio da ITF

No início da última semana, a Federação Internacional de Tênis (ITF) anunciou um programa de assistência específico para tenistas entre as posições 501 e 700 no ranking mundial de mulheres e homens. 

Os detalhes ainda estão sendo acertados pela entidade, mas tomando o ranking como base para a elegibilidade do auxílio, que ainda não tem valores anunciados, a lista de beneficiados seria a seguinte: entre homens, Wilson Leite (516º), Jordan Correia (526º), Daniel Dutra da Silva (545º), Gilbert Klier Júnior (560º), João Lucas Reis da Silva (581º), Mateus de Carvalho Cardoso Alves (631º) e João Pedro Sorgi (646º) e entre mulheres,  Nathaly Kurata (507ª), Ingrid Gamarra Martins (539ª) e Eduarda Piai (656ª). 

A ITF deverá anunciar nas próximas semanas, mais detalhes sobre o projeto. 

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário