Surto História: A era dos boicotes - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Surto História: A era dos boicotes

Compartilhe

Os anos 70 foram marcados por diversos conflitos no mundo. A sociedade acompanhava gigantescos avanços tecnológicos em meio a Guerra Fria protagonizada por Estados Unidos e União Soviética. Mas também havia muita tensão entre os países fora dos holofotes. E cada um desses embates deixou marcas na história dos Jogos Olímpicos.

Infelizmente esses países por muitas vezes barganharam com o Comitê Olímpico Internacional (COI) sua participação olímpica, num ato estrategicamente político ou com tom de protesto, em troca do veto para nações inimigas. O clássico "ou ele ou eu".

Isso fez com que as Olimpíadas enfrentassem boicotes, mas normalmente de forma mais "leve" e sem envolver tantas delegações. Até que um conjunto de 27 países do continente africano pressionou o COI para que a África do Sul e a Rodésia (atualmente Zimbábue), fossem proibidas de participar dos Jogos Olímpicos de 76, em Montreal, por causa do regime de segregação racial imposto em ambas nações. 

Além disso, pediam também a exclusão da Nova Zelândia, por terem feito uma excursão com o time de Rugby dos All Blacks na África do Sul, em pleno apartheid. O COI aprovou o veto para África do Sul e Rodésia, mas alegou não fazer parte de sua "jurisdição" o caso da Nova Zelândia, pelo Rugby não ser um esporte olímpico na época. A decisão provocou o primeiro boicote em massa das Olimpíadas, que também tiveram a adesão das delegações do Iraque, Guiana e Taiwan. Mas esse seria só o começo.

Foto: Montreal Gazette
Em 1980 os Jogos Olímpicos foram realizados em Moscou, na antiga União Soviética. Em plena Guerra Fria, o governo soviético decidiu enviar tropas para invadir o Afeganistão, sob o pretexto de defender o Tratado de Amizade Soviético-Afegão de 1978. 

Como protesto à ação, o presidente norte-americano Jimmy Carter anunciou o boicote dos Estados Unidos aos Jogos de Moscou, convocando outros 69 aliados a fazerem o mesmo, causando um grande esvaziamento no evento. Países como Canadá, Alemanha Ocidental e Japão não foram à URSS disputar a glória olímpica. Curiosamente, o Afeganistão não participou da "sabotagem" e foi àquela Olimpíada.

Alguns países parceiros dos norte-americanos até permitiram a participação de seus atletas, mas sob a condição de competirem sem a bandeira do país, como atletas independentes, defendendo a bandeira olímpica.

Foram 5.179 atletas participantes, de 80 países. Este é o menor número de delegações desde os Jogos de Melbourne em 1956. O resultado foi o amplo domínio dos anfitriões, que conquistaram 80 medalhas de ouro, chegando a quase 200 pódios ao todo.

Foto: Globo
Na Olimpíada seguinte, em 1984, a única candidata à cidade-sede foi a rica Los Angeles, nos Estados Unidos, uma vez que o mundo passava por instabilidade financeira e ninguém queria se arriscar a receber um evento tão grandioso e que poderia causar ainda mais prejuízo naquele momento. 

A escolha da sede olímpica acabou dando força definitiva ao "toma lá, dá cá" entre americanos e soviéticos. Dessa vez, era a oportunidade perfeita para o boicote do bloco socialista. 

União Soviética, Alemanha Oriental, Polônia, Tchecoslováquia, Hungria e Cuba  foram algumas das nações que fizeram boicote aos Jogos Olímpicos de 1980. O evento recebeu 6.829 atletas de 140 países e teve domínio colossal dos Estados Unidos, que obtiveram 83 medalhas de ouro.

Entretanto, alguns países do bloco socialista, considerados mais neutros, foram a Los Angeles, como China, Iugoslávia, Romênia e Benim. 

Ironicamente, os Estados Unidos, que haviam sido contra a invasão soviética no Afeganistão, desta vez protagonizaram a invasão no país caribenho de Granada, uma ilha próxima a São Vicente e Granadinas e Trindad e Tobago. 

Foto: Yuri Somov
Para reafirmar a "boa convivência", o empresário americano Ted Turner, dono da TBS, entre outros canais americanos, criou em 1986, os Jogos da Boa Vontade. Essa foi uma espécie de mini-olimpíada, que contou com a participação de 79 países, reunindo aproximadamente 3,5 mil atletas, tendo sua primeira edição em Moscou, na União Soviética. O ponto negativo é que o evento não tinha a mesma magnitude e Turner precisou pagar quantias astronômicas para contar com grandes atletas, como Carl Lewis. 

Em 1988, os Jogos Olímpicos de Seul, na Coreia do Sul, tiveram a oportunidade de finalmente contar com as três maiores potências olímpicas da época: Estados Unidos, União Soviética e Alemanha Oriental. Mesmo assim, alguns países como Cuba, Coreia do Norte e Nicarágua, não disputaram essa edição dos Jogos. 

Com as transformações do mundo e as mudanças geopolíticas, a edição de 1992 dos Jogos Olímpicos, em Barcelona, foi a primeira a não sofrer com essas "sabotagens", terminando assim com a Era dos Boicotes. 

Foto: Arquivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário