Surto História - Santos Dumont e o diploma olímpico



Na quarta reunião do Comitê olímpico internacional, realizado no Automóvel Club de Paris em 1901, o presidente da entidade e 'pai' dos jogos olímpicos da era moderna, , Pierre de Coubertin, propôs a criação de um diploma olímpico, que seria entregue a personalidades que prestaram serviços relevantes ao esporte, o que foi plenamente aceito pelos integrantes do comitê. Em 1905, foram anunciados os primeiros contemplados e entre eles, um brasileiro: Alberto Santos Dumont.

O aviador brasileiro, que brilhava no início do século na capital parisiense com suas máquinas voadoras, foi escolhido para ser homenageado por Coubertin por conta de seu enorme espírito de perseverança, princípio básico do esporte e por ser um típico representante do ideal olímpico de superar os seus limites, o que os atletas faziam durante as competições. 

Além de Dumont, foram agraciados com o diploma o presidente dos Estados Unidos na época, Theodore Roosvelt, o cientista e explorador norueguês Fridtjof Nansen e o educador britânico William H.Grenfell. Mas na cerimônia de premiação, realizada em 13 de julho de 1905 em Bruxelas (BEL), somente Grenfell apareceu para receber o seu diploma. Santos Dumont teve como seu representante o Conde Eugenio Brunetta d’Usseaux, membro italiano do COI desde 1897, que recebeu o Diploma Olímpico em nome do seu amigo Santos-Dumont.

Roosvelt e Nansen enviaram mensagens de agradecimento por seus representantes, coisa que Santos Dumont se absteve de fazer. Por ser recluso e não gostar muito de receber homenagens, especula-se que este foi o motivo de Santos Dumont não aparecer na cerimônia. 

Mas a hipótese dele não ter dado importância ao prêmio não é descartada, afinal, o Comitê Olímpico Internacional era uma jovem entidade e sem um décimo do prestígio que tem hoje, ao contrário de Santos Dumont, uma celebridade europeia na época.  Para historiados olímpicos, o aviador brasileiro foi “um herói olímpico relutante que, juntamente com importantes personalidades de seu tempo, foi agraciado com o Diploma Olímpico para o qual ele demonstrou pouco interesse”. Mas querendo ou não, Santos Dumont se tornou o primeiro brasileiro a ser premiado pelo COI, quinze anos antes da primeira participação brasileira oficial nos jogos olímpicos.

Já o diploma olímpico deixou de ser um prêmio dado a personalidades a partir de Londres 1948, e passaria a ser dado a quem terminasse na quarta, quinta e sexta colocações, como um prêmio de consolação. Em Los Angeles 1984, o sétimo e o oitavo lugares passaram a receber o diploma, até hoje entregue em Jogos olímpicos. 


foto: Fernando Brazão/ Agência Brasil

Postar um comentário

To Top