Associação de Esportes Olímpicos de Inverno suspendem relação com a Sportaccord - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Associação de Esportes Olímpicos de Inverno suspendem relação com a Sportaccord

Compartilhe

A Associação de Esportes Olímpicos de Inverno (AIOWF) anunciou na quarta-feira (27) que suspendeu as relações com a Sportaccord.

Em uma carta enviada para Marius Vizer, presidente da Sportaccord, o presidente da AIOWF, Gian Franco Kasper, disse que a medida foi aprovada por grande maioria.

Ainda na carta, Kasper diz que: "Estamos confiantes que em um futuro próximo seja realizado um dialogo construtivo entre a Sportaccord e os interessados sobre o Movimento Olímpico possa ser realizado."

Assim, a AIOWF segue a ASOIF (Associação de Esportes Olímpicos de Verão), que também suspendeu as relações com a entidade após os ataques diretos do presidente da Sportaccord, Marius Vizer, ao COI (Comitê Olímpico Internacional) e ao presidente Thomas Bach durante o congresso da Sportaccord, em Sochi (RUS), em que acusava o Comitê de ser ultrapassado e de falta de transparência.

Mais de vinte federações Olímpicas também já suspenderam relações com a Sportaccord: As federações se juntam a IAAF (Atletismo), World Archery (Tiro com Arco), ISSF (Federação Internacional de Tiro), ICF (Canoagem Slalom e Sprint), AIBA (Boxe), WTF (Taekwondo), UWW (Luta), FIBT (Bobsled e Skeleton), ITU (União Internacional de Triatlo), IWF (Federação Internacional de Levantamento de Peso) e a FIH (Hóquei na Grama), FEI (Federação Internacional de Hipismo), a FIVB (Federação Internacional de Vôlei), a UIPM (União Internacional de Pentatlo Moderno), a World Rowing (Federação Mundial de Remo), a ITTF (Federação Internacional de Tênis de Mesa) e a World Curling (Federação Internacional de Curling), World Rugby (Federação Internacional de Rugby), a UCI (União Ciclistica Internacional), FIE (Federação Internacional de Esgrima) e a FIBA (Federação Internacional de Basquete) e a BWF (Federação Internacional de Badminton).


Com informações de: Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário