Estrangeiros poderão tirar "passaporte olímpico" para os Jogos de 2016


De passagem pela cidade-sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, o ministro do turismo, Vinícius Lages, se reuniu na quarta-feira 21 com o prefeito do Rio, Eduardo Paes. Em pauta estava a criação do "passaporte olímpico", que visa facilitar a entrada de estrangeiros no Brasil durante os dois mega eventos. A estimativa é que os Jogos tragam entre 350 mil e 500 mil turistas ao país. Até 2016, a projeção é que o volume anual de visitantes ao Brasil alcance 6,5 milhões. 

- Qualquer dificuldade para o turista viajar torna a experiência mais desconfortável. A ideia é que possamos estabelecer, de forma antecipada, a facilidade de vistos para profissionais e turistas. Isso valeria para um período, como foi na Copa do Mundo - destacou o ministro.

Citando Barcelona como grande exemplo de cidade que se desenvolveu após receber os Jogos, Eduardo Paes ressaltou que as Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016 serão uma grande oportunidade para ampliar ainda mais o potencial turístico do Rio.

- As Olimpíadas são uma grande oportunidade para vendermos a imagem de um país diferente daquilo que o mundo já conhece, do samba e das praias bonitas. No caso do Rio de Janeiro, é uma oportunidade de mostrar que temos uma cidade sofisticada, com serviços de qualidade e enorme capacidade de gerar negócios, além de contarmos com uma indústria criativa muito forte e capital cultural fantástico. Além disso, nossa meta é fazer com que a cidade se torne um destino ainda mais importante. Temos como exemplo a cidade de Barcelona, que saiu de 800 mil turistas por ano e foi para oito milhões - lembrou o prefeito.

O tema central da reunião desta quarta será levado agora ao Ministério das Relações Exteriores. A estimativa é de que o projeto seja apresentado à presidente Dilma Rousseff na próxima semana. Um dos principais alvos do "passaporte olímpico" são os turistas americanos.

- Um dos principais mercados são os Estados Unidos. Por isso, teríamos de ter um gesto prioritário, porque os Jogos Olímpicos interessam a esse público. Claro que não esqueceríamos os demais países. A China enviou 100 milhões de turistas para o mundo em 2014, mas somente 60 mil vieram ao Brasil - destacou Vinícius Lages.

Outros projetos debatidos nesta quarta foram a criação do "Ano Olímpico"  e do "Brasil Pass". O primeiro trata-se de um incentivo à entrada de turistas fora da época dos Jogos, enquanto o segundo consiste numa proposta de descontos em passagens aéreas e hospedagem em outras regiões longe do Rio.


Foto: Estadão
Fonte: Globoesporte.com

Postar um comentário

To Top