Final do Grand Prix de Patinação Artística 2019/2020 - Dia 1



China e Estados Unidos saíram na frente no primeiro dia das finais do Grand Prix de Patinação Artística, disputado na Arena Palavela, em Turim, Itália. Nos Pares, Wenjing Sui e Cong Han conquistaram o primeiro lugar, com uma liderança apertada sobre os russos Aleksandra Boikova e Dmitrii Kozlovskii. No individual masculino, Nathan Chen (foto) não errou e abriu 13 pontos de vantagem sobre o japonês Yuzuru Hanyu, que perdeu um salto.


Pares: 


Os chineses Wenjing Sui e Cong Han justificaram o favoritismo: mesmo com erros na saída de um lançamento, onde Sui tocou o gelo com a mão e em um levantamento que recebeu apenas nível 2, a dupla marcou 77.50 pontos e ficou no primeiro lugar do Programa Curto. Sui e Han não ficaram satisfeitos com o que apresentaram: "A patinação e execução do programa ficou um pouco presa, e fizemos alguns erros. Para o Programa Livre de amanhã, queremos apenas fazer o nosso melhor", disse Sui em entrevista.

O segundo lugar ficou com os russos Aleksandra Boikova e Dmitrii Kozlovskii, que em um programa limpo conquistaram 76.65 pontos. A dupla comentou que espera entrar mais relaxada no Programa Livre, e fazer uma performance ainda melhor: "Hoje nós dois estávamos um pouco nervosos, e acho que podemos mostrar mais emoção e mais confiança na nossa patinação", disse Boikova. Kozlovskii falou sobre a importância de fazer uma patinação mais artística e emotiva no programa curto, uma versão instrumental da canção "My Way", de Frank Sinatra: "O programa é uma interpretação de nós mesmos, de nossas almas. No qual nós tentamos encontrar a nós mesmos, nossa estrada certa, nosso caminho".

Em terceiro ficaram os também russos Daria Pavliuchenko e Denis Khodykin que apresentaram um programa limpo e bastante firme, conquistando 75.16 pontos.



Masculino:


Um programa limpo com valor de base alto, executado com firmeza garantiu o primeiro lugar no Programa Curto para Nathan Chen, dos EUA. O norte-americano somou 110.38 pontos. Chen se mostrou feliz com o resultado, mas adiantou que ainda está em fase de planejamentos para sua performance no Programa Livre, no sábado, onde apresenta seu medley de Elton John: "Estou feliz com o salto quádruplo Lutz, mas estava um pouco incerto no Triplo Axel e um pouco incerto no Toeloop. Ainda não sei como vai ser o Programa Livre, tenho dois dias para ajustar e tenho que pensar. Não sei como vai ser a programação dos saltos vai ser, mas eu adoro o programa e estou ansioso para apresentá-lo."

O bicampeão olímpico Yuzuru Hanyu, do Japão, em contraste se mostrava bastante frustrado: realizou com excelência quase todo o programa, mas teve o resultado gravemente comprometido com um erro severo na combinação de saltos quádruplo toeloop e triplo toeloop: o quádruplo saiu com uma aterrissagem complicada e o triplo não pode ser executado. O erro custou a Hanyu uma perda de 10 pontos apenas no elemento isolado, e o valor de base mais baixo de seu programa aumentou a diferença para 13 pontos, na prática a distância que ficou de Chen no fim do dia: "Pus energia demais no programa e cometi um erro que não acontece com frequência. Pensei que talvez eu pudesse fazer essa combinação na base da pura força de vontade, mas realmente não deu."

Hanyu se apresentou no seu Programa Curto sem a presença de seus técnicos: segundo o próprio Hanyu sua equipe apenas conseguiu credenciamento para um técnico, e a agenda simultânea à competição estava muito cheia, o que fez com que Ghislain Briand fosse o designado para a ocasião. Mas o técnico de saltos canadense teve um incidente pessoal antes de viajar para a Itália e não pode estar presente. Tracy Wilson está acompanhando Jason Brown, que disputa o Golden Spin de Zagreb e Brian Orser ficou no Canadá, onde diversas provas locais estão sendo disputadas, cuidando de pelo menos quatro alunos juniores. Hanyu no entanto negou que a ausência dos técnicos tenha influenciado de algum modo no erro que cometeu: "Mesmo não podendo vir, acho que Brian e Tracy me apoiaram. A ausência dos técnicos não foi a razão para meu erro. Em todo caso, indo para depois de amanhã (dia do Programa Livre), estarei calculando como usar cada minuto e cada segundo. Quero verificar o que falta e ajustar tudo o que precise ser ajustado, caso apenas minha habilidade não me baste." 

A tristeza com a performance de hoje também foi maior por Hanyu considerar uma boa atuação em Turim como uma homenagem a Johnny Weir e Evgeni Plushenko, patinadores que considera seus ídolos desde a infância e que tiveram atuações notáveis nas Olimpíadas de Inverno de 2006, disputadas na cidade italiana: "Este programa foi aquele com o qual Johnny Weir ficou em segundo lugar no Programa Curto da Olimpíada. Eu queria muito fazer uma boa performance. E mesmo que eu diga o quanto estou frustrado agora, nada vai mudar. A diferença de pontos agora é bem grave."


A boa surpresa do dia foi o francês Kevin Aymoz, que fez uma performance artística e eletrizante, não errou, realizou um salto quádruplo logo na abertura e conquistou o terceiro lugar, menos de um ponto atrás de Hanyu. Aymoz teve que superar um inimigo inesperado: uma falha técnica trocou a execução de sua música de performance, o que o obrigou a controlar os nervos e esperar. "Eu estava tão confiante quando eu saí, mas quando a música não tocou eu me senti tão sozinho ficando lá no gelo como se eu fosse o único ser neste mundo. Mas quando a música começou eu esqueci disso totalmente e foi um prazer compartilhar minha atuação. É trabalho de um patinador manter o foco não importa o que aconteça e achei que aquele era meu momento."

Todas as tabelas com resultados, agenda de apresentações em horário local e súmulas detalhadas de julgamentos da final do Grand Prix 2019 de Patinação Artística estão disponíveis aqui, no site oficial de resultados do evento.

Foto: OC

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes