Rafael Nadal vence 35º título de Master 1000 e defende bicampeonato no Canadá


Em mais uma final do Master 1000 do Canadá, a Nova Geração aprendeu do pior jeito que precisará esperar ainda mais algum tempo antes de tirar os títulos do Big 3. Atual recordista de finais em Master 1000, o espanhol Rafael Nadal seguiu o protocolo mais uma vez neste domingo (11) e venceu com certa facilidade o russo Daniil Medvedev, em sua primeira final deste tipo de evento, por 6/3; 6/0. O torneio masculino deste ano aconteceu em Montreal.

Ano passado, o espanhol de 33 anos já havia vencido o grego Stefano Tsitstipas na final, também por 2-0 e assim garantiu o primeiro bicampeonato de sua carreira fora do saibro. Foi seu 35º título de Master 1000m em 51 finais. Ambos os números são recordes para o número 2 do mundo, que não só defendeu sua posição, mas também assumiu a liderança do ranking da temporada. do número 2 do mundo, que com o bicampeonato (feito inédito fora do saibro em sua carreira).


Poucas mudanças no ranking

Com a defesa do título de Nadal, o top4 da ATP permaneceu sem mudança. Novak Djokovic (SRB) segue na liderança com incontestáveis 12.325 pontos, a frente de Rafael Nadal, com 7945, Roger Federer (SUI), com 7460 e Dominic Thiem (AUT) bem atrás, com 4925. O grego Stefano Tsistipas que tinha alcançado o 5º lugar na semana passada, sua melhor posição da carreira, caiu para sétimo por não defender o vice do ano passado, sendo ultrapassado por Kei Nishikori (JPN) e Alexander Zverev (RUS).

Medvedev, com o vice-campeonato, ultrapassou o compatriota e adversário da semifinal, Karen Khachanov. Já, o italiano Fabio Fognini recuperou espaço no top10 com as quartas em Montreal. Roberto Bautista Agut (ESP) alcançou o top10, em 11º, sua melhor posição da carreira, às custas de Kevin Anderson, que perdeu quatro posições e é o novo 14º. Gael Monfils foi outro destaque, e subiu cinco posições com a semifinal alcançada no Canadá, chegando ao 15º lugar do ranking.

Já na Corrida para Londres, Nadal alcançou a liderança, com 7235 pontos, a frente de Djokovic, que permanceu com 6735. Ambos ainda tem boa vantagem diante de Federer, que soma 5070 no ano e por sua vez está confortável no terceiro lugar: Dominic Theim está em um distante quaerto, com 3845 pontos.

Descansando após uma longa campanha em Wimbledon, Djokovic e Federer voltam para o Master 1000 desta semana, a ser disputado em Cincinatti, EUA. Djokovic estreia contra o vencedor de Sam Querrey (USA) e Pierre-Hughes Herbert (FRA) e tem Khachanov como adversário mais provável de quartas.


Na semifinal, a expectativa é de duelo com Roger Federer, que estreia diante do vencedor de Juan Ignacio Londero (ARG) e Matteo Berrettini. Seu cabeça mais próximo é o grego Tsitsipas, atual cabeca 5. Já Nadal estreia contra o vencedor de Cristian Garin (CHI) e Adrian Mannarino (FRA). Já Andy Murray (GBR), o outro componente do Big 4 volta às quadras de simples em Cincinatti. Ele não joga desde a derrota na primeira partida diante de Bautista Agut. Sua estreia é contra o francês Richard Gasquet.

Foto: Paul Chiasson/Canadian Press

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes