Brasil inicia as disputas do Mundial de Hipismo nas modalidades de saltos e adestramento


Com atletas brasileiros entre os tops das modalidades Salto, Adestramento e Paraadestramento começa neste sábado, 6 e segue até o dia 14, em Herning, o ECCO FEI World Championships, maior evento hípico do mundo

Passaporte para as Olimpíadas de Paris 2024 para os países que se classificarem entre os seis primeiros colocados, os campeonatos mundiais e individuais por modalidade vão movimentar arenas na dinamarquesa Herning a partir de sábado, 6, com disputas até o dia 14. O ECCO FEI – World Championships está substituindo os Jogos Equestres Mundiais (WEG, na sigla em inglês) que entre 1990 e 2018 foram realizados a cada quatro anos reunindo a elite das oito modalidades regidas pela Federação Equestre Internacional (FEI) em um único local. A complexidade da infraestrutura de um evento desse porte levou a FEI a retomar o nome e modelo do ECCO FEI – World Championships, instituído em 1953, evento que inspirou o WEG, com a volta da realização dos Mundiais em diferentes palcos e países.

Em Herning, o Brasil será representado por equipe na modalidade de Saltos e no Paraadestramento com representantes no individual no Adestramento. 

A prova de Concurso Completo de Equitação será disputada em Pratoni del Vivaro, na Itália, em setembro.

Saltos


Única modalidade que conquistou medalha no WEG - ouro individual de Rodrigo Pessoa / Gandini Lianos em Roma 1998 -, o time de Salto conta com atletas olímpicos, medalhistas e campeões panamericanos: Marlon Zanotelli montando Like a Diamond van het Schaeck, Bernardo Alves com Mosito van het Hellehof, Yuri Mansur montando QH Afons Santo Antoni e Felipe Amaral com Androide 3K. O técnico é o suíço Phillipe Guerdat e o chefe de equipe Pedro Paulo Lacerda.

As disputas de Salto começam sábado 6/8 no Stutteri Ask Stadium, e as medalhas - individual e por equipes – definidas entre 10 e 14/8.

Adestramento 


No Adestramento, o Brasil será representado por dois conjuntos que disputam no individual: o olímpico João Victor Marcari Oliva montando Escorial Horsecampline entra em pista no GP no domingo 7 às 11h36 (06h36 no Brasil), enquanto o estreante Nuno Chaves de Almeida com Feel Good V.O abre a participação do país no sábado 6 às 18h13 (13h13 no Brasil).

Até a semana passada o Brasil estava inscrito para participar como equipe, mas com problemas de saúde o cavalo Famous do Vouga, montaria de Pedro Tavares de Almeida, não conseguiu embarcar da Alemanha para a Dinamarca. O alemão Norbert van Laak é o técnico e a sueca radicada no Brasil Pia Aragão, a chefe de equipe.

O Adestramento começa com o Grand Prix, prova dividida nos dias 6 e 7 e que define o pódio por equipes; na segunda-feira 8 acontece o GP Special que qualifica para o GP Freestyle – prova com coreografia livre e música – que acontece na quarta-feira 10 definindo o pódio individual.

Paraadestramento 


Rodolpho Riskalla montando Don Henrico (Grau IV) e Sérgio Oliva com Millenium (Grau I), duas duplas medalhistas paralímpicas, e os estreantes Thiago Fonseca dos Santos com Johnny Walker Plus (Grau V) e Flamarion Pereira da Silva montando Francis (Grau II) são os representantes do Time Brasil no Adestramento Paraequestre que tem Andrea Kober como técnica, Rosana Ayrosa como chefe de equipe e Luana Kim como médica fisiatria multidisciplina.


Com duas pratas no ultimo Mundial, em Tryon, Estados Unidos, em 2018, e prata na prova técnica na Paralimpíadas de Tóquio 2021, Rodolpho Riskalla compete pela ultima vez com Don Henrico em Herning, com expectativa de somar mais um pódio na carreira da dupla.

As competições do Adestramento Paraequestre acontecem de 10 a 14/8 na BB Horse Arena.

Foto: CBH/Luis Ruas

Postar um comentário

To Top