Raiva e desapontamento predominam entre os torcedores japoneses após a proibição do público - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Raiva e desapontamento predominam entre os torcedores japoneses após a proibição do público

Compartilhe

 


Após a proibição de público nas arenas, anunciada nesta quinta (8) pelos organizadores dos Jogos, torcedores japoneses demonstraram desapontamento e raiva enquanto ainda digerem a notícia. A medida é drástica e pela primeira vez o maior evento esportivo do planeta não terá público. Torcedores fanáticos ainda querem se conectar de algum jeito, enquanto outros reclamam da demora das autoridades em tomarem medidas restritivas.


A torcedora ilustre Ishikawa Kyoko, que esteve em todas as edições olímpicas dos últimos 30 anos, disse em entrevista a Agência France-Presse que já esperava a proibição, mas que deseja se conectar de algum jeito com as pessoas. Como a presença de público nas Paralímpiadas ainda indefinida, Kyoko está otimista e ainda espera ocupar as arenas.


Ishikawa Kyogo Foto: Phillip Fong/ AFP


Kamioko Natsuka, torcedor que esperava levar os filhos para ver o vôlei, ficou frustrado e disse que as autoridades deviam ter tomado medidas de precaução antes. Durante o último mês, a cidade esteve em estado de quase-emergência, na qual as restrições não eram rígidas, assim como no atual estado de emergência, na qual a maior proibição será a venda de álcool após às 20h. 


"Eles evitaram cancelar os Jogos, mas não tiveram um bom resultado. Ninguém está feliz"- disse Kamioko.


Nas redes sociais, alguns torcedores reclamaram chamando atenção para o custo do Estádio Nacional, estimada em US$ 1,4 bilhão, e dizendo que os Jogos sem público torna o evento uma Olimpíada para aristocratas.


"Uma Olimpíada sem espectadores significa uma Olimpíada para aristocratas, já que apenas os aristocratas olímpicos poderão assistir aos Jogos".


Surte+: Grupo de japoneses busca liminar na Justiça para cancelar a Olimpíada de Tóquio


Foto em destaque: AFP 

Nenhum comentário:

Postar um comentário