ICF suspende competições até setembro e congela rankings da canoagem slalom até o final do ano - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

ICF suspende competições até setembro e congela rankings da canoagem slalom até o final do ano

Compartilhe

A Federação Internacional de Canoagem (ICF) divulgou, na última quinta-feira (07), atualizações sobre a situação de seu calendário, paralisado desde fevereiro pela pandemia do coronavírus. O Conselho da entidade decidiu que todas as competições internacionais programadas até setembro serão adiadas ou canceladas e, mesmo esperando que alguns eventos sejam realizados ainda este ano, suspendeu os rankings da modalidade slalom até dezembro.

Com respectivas sedes em Liubliana (SLO) e Szeged (HUN), os Campeonatos Mundiais de Canoagem Slalom Júnior e Sub-23 e o Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade não-olímpico, previstos para julho, foram adiados até pelo menos setembro. Uma nova definição sobre as três competições será tomada no final de maio.

As etapas de Pau e de Praga da Copa do Mundo de Slalom foram remarcadas provisoriamente. Enquanto a primeira, na França, procura datas entre outubro e novembro, a segunda, na República Tcheca, confirmou outubro como uma possibilidade de ser realizada.

A final da Copa do Mundo e o Campeonato Mundial de Slalom não-olímpico, ambos com sede em Markkleeberg (GER), devem tornar-se o terceiro evento da Copa do Mundo, possivelmente acontecendo em outubro.

Pela falta de competições em boa parte do ano, o ranking mundial da canoagem slalom sofreu modificações. Não serão atribuídos pontos entre fevereiro e o final de dezembro. O novo período de ranqueamento abrangerá eventos nos 18 meses anteriores a fevereiro de 2020 e, em seguida, de janeiro de 2021 a 1º de junho de 2021.

Caso alguma competição pré-olímpica seja cancelada no próximo ano, esse ranking mundial, publicado em 1º de junho, será utilizado como critério de qualificação à Olimpíada de Tóquio. O novo sistema para a distribuição das vagas aos Jogos de 2021 já foi enviado ao Comitê Olímpico Internacional (COI) e a federação aguarda uma resposta para publicá-lo.

Qualquer decisão futura sobre a situação dos eventos dependerá das medidas específicas do país que receberá cada competição. Mas a ICF anunciou que deverá haver três quesitos básicos para que os eventos possam ser realizados: as federações nacionais terão que estar aptas a participar, com atletas com condições de treinamento e com custos de viagens sendo confortáveis a todos.

Quesito financeiro
No pacote de decisões divulgadas pela ICF, também está a aprovação do Conselho de dois cenários orçamentais, datando do restante de 2020 até 2022. Os conceitos econômicos levaram em consideração os mais diversos cenários, incluindo a chance de não haver Olimpíadas em 2021. A ICF garantiu que tem condições financeiras confortáveis para suportar a crise gerada pela pandemia. 

Pode ser que o Congresso anual da ICF, programado para dezembro, nas Filipinas, não seja realizado, ainda em consequência da crise sanitária. Decisões sobre a situação do Congresso e das competições previstas para o final do ano serão tomadas em um novo encontro a ser realizado em junho.

Foto: Jonne Roriz/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário