Candidatura da cidade de Barcelona para os Jogos Olímpicos de Inverno em 2030 se fortalece

O ano de 2030 ainda pode parecer distante, mas quando se fala em candidatura para sediar Olimpíadas você trabalha com bastante antecedência.

Barcelona , a primeira cidade espanhola a sediar os Jogos Olímpicos de verão, quer ser a pioneira na celebração dos Jogos de Inverno. O plano não é novo, porque até um ano atrás a meta eram os jogos de 2026, como antes eram as de 2010 ou 2022. Todos esses projetos nem se concretizaram em candidaturas.

A ausência de governo após as eleições de 2016 impediu a cidade de dar o passo, mas mesmo se tivesse, suas opções eram escassas. O clima político tornou inviável apostar nos Jogos. Mas assim que a opção de 2026 foi destruída, na primavera passada, começou a pré-candidatura para os Jogos Olímpicos de 2030. Nesta sexta-feira, Gerard Figueras, Secretário Geral de Esportes, se reuniu em Madri com a Secretaria de Estado do Esporte, María José Rienda, para falar sobre a candidatura, entre outras coisas. 

"É um projeto positivo, além de uma ótima oportunidade para o país criar empregos e infraestrutura", afirmou Rienda após a reunião, segundo os depoimentos distribuídos pelo Conselho Superior de Esportes (CSD). "Em suma, eventos esportivos ajudam a melhorar as possibilidades do esporte espanhol", concluiu.

A presença do ex-chefe do CSD pode servir como um impulso para a candidatura. "Qualquer coisa para organizar um Jogos é algo muito importante e algo grande para o esporte em geral e neste caso para o espanhol, mas tem que haver consenso nacional, todas as partes têm que estar de acordo", disse o secretário de Estado. "No final, o esporte nos une, temos muitos pontos em comum, une as pessoas, embora tenhamos ideologias diferentes, e para aqueles de nós que gostam e amam esportes, sempre procuraremos soluções para continuar melhorando o sistema."
A pré-candidatura, que é oficialmente chamada "Pirineos-Barcelona 2030", ainda é muito verde, mas no momento não está encontrando obstáculos. Parece haver consenso na Catalunya, salvo a relutância da cidade de Barcelona, ​​que retirou seu apoio ao projeto até 2026. Ele tem a aprovação do COI, que em um relatório preparado após uma visita em setembro de 2018 disse que a cidade cumpre as condições para sediar os Jogos. E também a do Comitê Olímpico Espanhol (COE) , cujo presidente, Alejandro Blanco, nutre simpatia por Figueras, segundo fontes familiarizadas com o relacionamento. Nas conversas que tiveram sobre a possível candidatura, os 'processos' foram deixados de fora, embora seja claro que nesta candidatura, mais do que em qualquer outra, a política tem muito a dizer.

"É impossível falar em candidatura se não houver entendimento entre o governo catalão e o governo da Espanha e se não houver apoio social", disse Blanco em novembro. "Mas se isso é verdade, os Pirinéus têm todas as condições para organizar grandes jogos, mas todos temos que concordar, todos na mesma direção"

Gerard Figueras, a face mais visível do projeto, declarou ainda que: "Os Jogos Olímpicos reuniram as duas Coreias nos últimos Jogos , agora eles podem nos fazer trabalhar juntos novamente, eu não vejo nenhum outro projeto capaz de fazer isso nos próximos 10 anos".

Alguns Jogos Olímpicos em Barcelona (e em qualquer outra parte da Espanha) são impossíveis se o governo não os apoiar. Daí a importância do encontro desta sexta-feira e que haja diálogo, uma palavra aludida pela Secretaria Geral de Esportes em seu comunicado. "Os representantes dos dois governos concordaram que o projeto é uma oportunidade de diálogo e trabalho conjunto no campo do esporte".

Foto: Divulgação


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes