IAAF adia até março decisão em relação a norma de testosterona nas mulheres

Após recurso de Caster Semenya e da federação sul-africana de atletismo, a IAAF adiou para março a entrada em vigor da nova norma sobre os níveis de testosterona em mulheres .

Com este adiamento, a IAAF deseja evitar "atrasos adicionais e incerteza em relação às atletas que queiram competir na próxima temporada e nas seguintes temporadas na categoria feminina", esclareceu o órgão, em comunicado.

A nova regra, que deveria entrar em vigor em 1 de novembro, exige que as atletas que sofram de hiperandrogenismo - distúrbio caracterizado pelo excesso de andrógenos como testosterona -, tenham níveis de testosterona abaixo dos cinco nanomols por litro de sangue, cinco meses antes de competirem.

"A IAAF continua convencida da base legal, científica e ética dos regulamentos e espera que o TAS rejeite os recursos, mas também compreende que as atletas afetadas necessitem de certezas o mais rápido possível", disse a entidade.

A audiência no TAS do recurso sul-africano está prevista para fevereiro e a decisão para o fim de março.

Em abril a IAAF entendeu que reduzir os níveis de testosterona em desportistas que apresentem hiperandroenismo, como Semenya, que deveriam tomar medicação para reduzir a produção natural, caso contrário não poderão competir com mulheres.

Até hoje o limite para os níveis de testosterona estava nos 10 nanomols por litro de sangue e a IAAF pretende reduzir isso pela metade.

"Apenas quero correr de forma natural, da forma que nasci. Não é justo que me digam que tenho que mudar. Não é justo que questionem quem eu sou. Sou Mokgadi Caster Semenya, sou mulher e sou muito rápida", disse a bicampeã olímpica dos 800 metros.

Com informações de: Diário Record
Foto:EPA

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes