Em busca de evolução, Ygor Coelho jogará na liga dinamarquesa de Badminton

Depois de conquistar o bicampeonato pan-americano, na Guatemala, Ygor coelho, de 21 anos se prepara para um novo desafio. A partir de agosto, Ygor se muda para a Dinamarca para jogar a prestigiada Liga Dinamarquesa de badminton pelo Højbjerg Badminton Club, da cidade de Aarhus. A proximidade com o país europeu não é algo inédito na vida do jovem atleta. Há quatro meses, a revelação do badminton brasileiro vinha sendo treinado à distância pela renomada técnica dinamarquesa Nadia Lyduch.

"Espero aprender muito taticamente. Jogando a Liga Dinamarquesa também devo ficar mais forte, porque são os melhores do mundo. E também vai ficar mais fácil organizar o meu trabalho com a Nadia por mais que ela não esteja na mesma cidade que eu (ela mora em Copenhague). Mas ela conhece muito bem o meu futuro treinador e com certeza eles estarão conectados" disse Ygor em entrevista ao site globoesporte.com

Revelado no projeto social Miratus, localizado na comunidade da Chacrinha, na Zona Oeste do Rio, Ygor Coelho esteve pela primeira vez na Dinamarca em setembro de 2014. Lá, o carioca conheceu o técnico Mickael Kjeldsen, que será seu treinador no Højbjerg Badminton Club. Mickael e Nadia desenvolverão um trabalho em paralelo. Enquanto ele acompanhará o dia a dia do atleta, ela prestará consultoria técnica por meio de análise de imagens e eventuais encontros pessoais.

"Ainda não vai ser dessa vez que eu trabalharei diretamente com ele. Mas eu conheço todos os profissionais que estarão acompanhando o Ygor, então poderei planejar treinamentos e direcioná-lo às áreas de foco. Eu também terei a chance de visitar o Ygor em Aarhus algumas vezes, e, é claro, ele pode estar comigo em Copenhague sempre que quiser" disse Nadia Lyduch, que já treinou medalhistas olímpicos.

A dinamarquesa tem se impressionado com o desenvolvimento de Ygor desde que começou a acompanhar a jovem revelação, há quatro meses. Mesmo mantendo os pés no chão, ela prevê que o carioca alcance objetivos cada vez maiores na carreira.

"Estou convencida de que jogar a Liga Dinamarquesa em um clube forte vai acrescentar muito na carreira do Ygor. A palavra chave será "intensidade". Os melhores atletas dinamarqueses jogam essa liga e há muitos bons estrangeiros aqui. Ele vai aprender a jogar em equipe e lidar com mais pressão. É sempre difícil prever o futuro, mesmo porque os resultados dependem de muitos fatores. É sempre possível sonhar com uma medalha olímpica, mas consegui-la é outra coisa. Não há dúvida de que ele tem um grande potencial, mas há muito o que aprender nos próximos três ou quatro anos" comentou Nadia Lyduch.

Primeiro brasileiro a participar de uma Olimpíada no badminton, Ygor espera estar novamente nos Jogos de Tóquio. A ideia do carioca é entrar na próxima edição dos Jogos Olímpicos como um dos cabeças de chave.

"Em 2016, participei aos 19 anos da minha primeira Olimpíada no Rio. Era tudo novo e magico. Foi um grande sonho realizado. Em 2020, quero chegar muito mais forte e preparado. Quero tentar ser cabeça de chave e para isto preciso estar entre os 20 melhores do mundo. Aí depois será jogo após jogo. A medalha é dificil de alcançar, mas não impossível. Quero seguir os passos de atletas como o Hugo Calderano, do tênis de mesa, e a Carolina Marin no meu esporte. Eles desafiam os padrões e mostram que tudo é possível quando se tem talento e dedicação. A Nadia também tem muito conhecimento e experiencia e, com certeza, trabalhar com ela deve me ajudar a evoluir muito" destacou.

Filho de Sebastião Dias de Oliveira, fundador da Associação Miratus, que atende crianças da Chacrinha e adjacências, Ygor tem nas origens humildes um dos maiores combustíveis para seguir trilhando uma carreira de sucesso num esporte pouco conhecido no Brasil.

"Às vezes, eu me pergunto como consegui chegar aqui. Aí lembro que várias pessoas entraram na minha vida e fizeram a diferença. E que eu também sempre tive muita vontade. Tenho um orgulho imenso de representar meu país sabendo de onde vim. E eu conto muito minha historia por onde passo, até porque acho que posso ser espelho para muitas outras crianças. Sempre falo que se eu consegui realizar meu sonho vindo de uma comunidade, elas também podem conseguir. Basta querer muito e batalhar todos os dias" finalizou.


com informações de globoesporte.com
foto: acervo pessoal de Ygor Coelho

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes