Canoagem brasileira pretende usar os Jogos Pan-Americanos para mostrar evolução no cenário internacional


Isaquias Queiroz, Ana Sátila e Erlon Souza. Os atletas olímpicos viraram referência e colocaram a canoagem brasileira de vez no cenário internacional. O esporte é um dos que mais evoluiu nos últimos anos, ganhou destaque mundial e provou que tem condições de subir ao pódio em 2016, no Rio de Janeiro. Antes, porém, o foco dos atletas são os Jogos Pan-Americanos, em Toronto. O evento é estratégico para os atletas sentirem o clima de um grande evento multiesportivo, acumular experiência internacional e mostrar o crescimento do esporte nacional.

Os resultados dos últimos anos vêm de investimentos nos atletas, equipes técnicas e na estruturação da canoagem brasileira. 


Destaque slalom

Com 19 anos, Ana Sátila vem ano após ano quebrando marcas inéditas no esporte brasileiro. Foi a caçula da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, aos 16 anos, campeã Mundial Júnior em 2014 (na prova k1) e medalhista de prata, também no K1, no Mundial Sub-23 em 2015. O último feito foi neste mês de junho, quando entrou na história ao conquistar o bronze na primeira etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, na República Tcheca.

No Pan, Ana é candidata natural ao ouro no C1 e no K1. “Acho que ela tem possibilidades de chegar ao pódio nas duas provas. Ana Sátila já mostrou no Mundial Sênior de 2014, nos Estados Unidos, que tem potencial. Ela ficou em 11ª lugar, porque tomou uma punição na semifinal e nós achamos que ela não merecia. Sem isso a atleta estaria em segundo ou terceiro na competição. Então, os resultados internacionais é a tendência de crescimento dela”, analisou Tomasini.  

Destaque velocidade
A trajetória do baiano Isaquias Queiroz inspira muitos jovens brasileiros e terá mais um capítulo a partir de 11 de julho, quando começarão as disputas da modalidade nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá.

Na maior competição das Américas, Isaquias será o principal nome da delegação brasileira de canoagem velocidade, que conta com outros 13 canoístas. “Isaquias é, com certeza, o principal atleta com chance de medalhas nas provas C1 1000m e C1 200m, além na dupla do C2 com o Erlon Souza. A dupla é candidata a prata, brigando pelo ouro com os canadenses”, disse o presidente.

As disputas da canoagem velocidade serão disputadas em Welland — nome que vem de uma palavra celta que significa “rio bom” —, entre os dias 11 e 14 de julho.


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes