WSL: Brasil terá seis representantes na fase de 16; Medina, Ítalo e Florence dão mais um show - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

WSL: Brasil terá seis representantes na fase de 16; Medina, Ítalo e Florence dão mais um show

Compartilhe


Foi disputada na madrugada desta segunda-feira (03) a fase de 32 da etapa de Margaret River do Circuito Mundial de Surfe (WSL). Seis brasileiros avançaram às oitavas de final: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Caio IbelliFilipe Toledo, Jadson André e Peterson Crisanto. Realizada em formato overlapping, com baterias acontecendo simultaneamente, a fase ainda contou com mais um show de John John Florence.


Em mais uma ótima apresentação, Gabriel Medina despachou o australiano Connor O'Leary, que chegou a liderar a série, mas levou a virada nos últimos dez minutos, em 14,97 a 11,57. Em suas primeiras ondas, Medina parecia tranquilo e conseguiu um 7,50 com duas pancadas realizadas em onda grande, chegando a praticamente andar no lip da onda, assim passando a frente do australiano.


Para finalizar em grande estilo, o brasileiro pegou uma onda média e a surfou com perfeição, usando o lip da onda na junção para ser jogado para frente e finalizou com perfeição a manobra, com nota 7,47, somando 14,97 contra 11,57 de O' Leary.



Vice-líder do ranking, Ítalo Ferreira enfrentou o australiano Adrian Buchan e logo no começo mostrou que é candidato ao título de mais uma etapa. Pegando uma boa onda e com um surfe forte, o brasileiro fez logo 6,50 e empilhou mais três boas ondas, nenhuma delas as duas melhores, mesmo todas passando do 5,00 de pontuação.


Faltando cerca de dez minutos pro fim, o potiguar fez duas rasgadas velozes e que levantaram muita água com ótima junção para 7,50, sua segunda maior nota na bateria, A cinco minutos do fim, Ítalo fez mais uma onda com rasgadas fortes e velozes e uma junção executada com perfeição, recebendo 8,07 dos juízes, se classificando com folga para a fase de 16.



Leonardo Fioravanti, da Itália, e John John Florence abriram os trabalhos na fase de 32 e logo nos dez primeiros minutos já mostraram para o que vieram. Em ondas semelhantes, o italiano fez 8,67 com fortes rasgadas e finalização completa da junção, enquanto o havaiano fez 7,67, prejudicado pelo fechamento da onda.


Mantendo o alto nível, Johh John fez outra onda na casa dos sete pontos e ainda aumentou a vantagem com uma onda para 8,37, se destacando a sua entrada quando fez um layback no ponto mais alto da onda. Fioravanti não achou outra onda à altura da disputa e foi eliminado com 11,00, tendo somado ainda um 2,33, em onda que fechou logo em sua entrada.



Peterson Crisanto começou o confronto contra o anfitrião Owen Wright já com uma ótima onda, surfada com duas fortes rasgadas, seguidas de um layback na junção, conquistando 7,83 dos jurados. O australiano então partiu para a resposta e em onda menor fez 6,50, ainda atrás de Crisanto. 


O brasileiro ampliou a vantagem com três rasgadas velozes que lhe deram 6,33 e deixou Wright precisando de uma onda excelente para virar, sabendo disso, o australiano chegou a tentar um aéreo, porém não completou e Peterson venceu por 14,76 a 12,60.


Outro brasileiro com excelente performance nesta fase, Caio Ibelli eliminou o campeão de Margaret em 2014, o francês Michel Bourez com duas ondas na casa dos oito pontos. A primeira em uma onda grande, com uma junção muito difícil, mas muito bem executada para 8,17.


Com a prancha colada no pé, Caio em sua melhor onda melhorou as rasgadas, bem mais velozes em relação a outra onda e com mais uma junção executada com sucesso, o brasileiro conseguiu 8,87, somando  17,04 contra 13,24 de Bourez.


As duas últimas baterias foram 100% brasileiras, com destaque para Filipe Toledo, que com excelente surfe, despachou Miguel Pupo. Logo em sua primeira onda, com duas rasgadas muito fortes no lip da onda e finalização perfeita, Filipinho fez a maior nota da bateria com 8,33, sua última onda, surfada para 7,17, consagrou sua vitória. Miguel tentou, mas não conseguiu notas altas e foi eliminado com 11,83 contra 15,50 de Toledo.


A outra bateria brasileira, disputada entre Jadson André e Yago Dora, terminou com vitória de Jadson, v com 10,90, (5,57 + 5,33) contra 10,64 (5,17 + 5, 47), resultado obtido com virada nos cinco minutos finais da série


Campeão da etapa e do circuito em 2015, Adriano de Souza, o Mineirinho foi eliminado pelo português, Frederico Morais, que apresentou um surfe muito mais agressivo, com todas as ondas pontuando de 5,50 para cima.


Precisando de 7,50 para avançar, o brasileiro foi pra cima e depois de duas rasgadas na onda, a prancha ficou presa na onda e a nota não veio, sendo eliminado por 14,50 a 12,30 para o surfista europeu.


Na sua terceira bateria do dia, Deivid Silva começou perdendo para Griffin Colapinto dos EUA, que na primeira metade tinha somado 11,60, o brasileiro então partiu para cima e em boa onda, diminuiu a vantagem, passando a precisar de 5,61 para virar a série.


Mas o norte-americano conseguiu achar uma ótima onda e uma rasgada forte e veloz, além de uma finalização sem erros, Griffin substituiu seu 3,83 por um 7,90, dando toques finais a bateria. Resultado final: Griffin Colapinto 15,67 x 10,40 Deivid Silva


Alex Ribeiro foi eliminado por diferença mínima para o sul-africano Jordy Smith, como o próprio resultado mostrou, a bateria foi muito equilibrada e ambas as notas de backup foram na casa dos cinco pontos com vantagem de 0,20 para o brasileiro.


Faltando menos de cinco minutos, Alex fez 6,77 em onda que teve como ponto forte a finalização na junção, mas Jordy devolveu com uma nota 7,00 e o sul africano venceu por 12,67 a 12,64.


A próxima chamada será feita às 20:00 desta segunda (3) e estão previstas as disputas da fase de 16 feminina, seguida da disputa masculina. O dia que conta com previsão de muitos tubos, conta com a transmissão do site, app, Facebook e Youtube da WSL, além da ESPN 2 e Watch Espn.


Foto em destaque: Matt Dunbar/WSL



Nenhum comentário:

Postar um comentário