Onze árbitros brasileiros são aprovados para o quadro da Federação Internacional de Tênis de Mesa - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Onze árbitros brasileiros são aprovados para o quadro da Federação Internacional de Tênis de Mesa

Compartilhe

O Brasil terá 11 novos oficiais de arbitragem no quadro da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF). Dos 16 brasileiros que fizeram o exame, em uma plataforma virtual, quase 70% dos árbitros conseguiram a aprovação.

Seis estados terão novos árbitros no quadro internacional: Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Os aprovados no exame responderam a 50 questões em 60 minutos. São eles: Avelino Lasaro (SP), Carlos Silva (RJ), Eliana Pincerato (SP), Gabriel Azevedo (PE), Gilberto Branco Lopes (SP), Gilberto Silva (PR), Luiz Pablo Moura (RJ), Marlos Vynicius Montes (MS), Ricardo Kurdoglian (SP), Sérgio Almeida (PA) e Thiely Peralta (MS).

A notícia foi recebida com muita alegria pelo coordenador nacional de arbitragem da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), Marcos Paulo Tavares. Ele acredita que o trabalho de renovação e preparação precisa ser constante, fazendo com que os novos árbitros internacionais possam alcançar a classificação Blue Badge (principal nível da arbitragem do tênis de mesa), possibilitando um maior número de oficiais do Brasil em Mundiais e Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Atualmente, apenas a mineira Maria José Ferrer, conhecida no tênis de mesa como Musa, tem esta classificação no quadro internacional. 

“Nosso quadro de árbitros está motivado e isso facilita a obtenção de resultados positivos. Hoje, eles acreditam na renovação, na capacitação e no estímulo para estudar e se aperfeiçoarem. A melhora no nível técnico dos jogadores brasileiros tem ajudado a arbitragem a se preparar melhor”, afirma o coordenador. 

Nos próximos meses, a CBTM deve criar um grupo dentro dos quadros nacional e internacional, chamado de Promissores. São árbitros mais jovens, de até 35 anos, com facilidade para compreensão de inglês ou espanhol, potencial para alcançarem o nível Blue Badge, e que serão preparados para buscarem este objetivo, aumentando a participação brasileira na elite mundial da arbitragem. Estes árbitros receberão acompanhamento aprimorado, aulas de inglês e participarão de vídeoaulas, com jogos e discussão das ações de arbitragem.

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário