Brasil Open de tênis deixa de ser ATP 250 e vira Challenger a partir de 2020



O Brasil Open está fora do calendário da ATP para 2020. Juntamente com o governo chileno, a Octagon, promotora britânica que é detentora da data, decidiu criar um novo ATP 250 no Chile e, para isso, usando o espaço no calendário em que seria realizado o torneio brasileiro, no começo de fevereiro.

Mais tradicional e antigo torneio do país, o Brasil Open teve 18 edições no calendário principal, entre 2001 e 2019. Foram duas sedes, a Costa do Sauípe, até 2011, e São Paulo, até 2019. Grandes nomes já desfilaram pelas quadras do torneio, com Guga, que foi campeão duas vezes, em 2002 e 2004, e Rafael Nadal, que venceu em 2005 e 2013. Em 2019, o grande campeão foi o argentino Guido Pella, que bateu o chileno Christian Garín na decisão.


A capital chilena não recebia um dos principais torneios do calendário do tênis profissional há seis anos, e era uma desejo do ministério dos esportes do país, que garantiu apoio financeiro à organização da competição, com jogos no Estádio Nacional de Santiago a partir o dia 24 de fevereiro. 

O Brasil Open agora será um Challenger e passará a ser disputado em outubro de 2020. Segundo o organizador do torneio, com o torneio sendo disputado na mesma semana de dois ATP 500 - Acapulco e Dubai - complicou a situação do torneio, que se tornou insustentável. Com o challenger, a presença de brasileiros será maior, pois não temos um tenistas do país estável entre os 100 melhores do ranking.

foto: Marcelo Zambrana/DGW Comunicação

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes