Seleção de Conjunto de Ginástica Rítmica é anunciada para Lima 2019


Com um grupo bastante renovado, a Seleção Brasileira de Conjunto de Ginástica Rítmica foi definida para a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Lima, que começarão na próxima sexta-feira (26). A treinadora e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), Camila Ferezin, selecionou as ginastas Deborah Medrado, Camila Rossi, Nicole Pircio, Vitória Guerra e Beatriz Linhares. No Individual, já estavam selecionadas Natália Gaudio e Bárbara Domingos. O embarque da equipe será no próximo sábado (27).

Para a equipe do Conjunto, o Pan de Lima terá uma importância especial. As meninas brasileiras tentarão manter a hegemonia continental do país nos Jogos. Desde Winnipeg-1999 o Brasil conquistou todas as medalhas de ouro da prova geral por equipe. No Canadá, inclusive, foi quando ocorreu o primeiro ouro da Ginástica Rítmica brasileira.

"Nós temos grandes chances de conquistar a sexta medalha de ouro. Apesar de ter uma equipe jovem e aumentado as dificuldades da coreografia, conseguimos manter uma mesma estrutura de trabalho. Estamos indo para o Pan com praticamente a mesma equipe que foi para a Copa do Mundo de Guadalajara, e naquela oportunidade vencemos nossas principais rivais do Pan. Atualmente o investimento e nível de trabalho de grupo dos países da América, melhorou bastante, isso torna as competições mais disputadas, mas temos grandes chances e vamos fazer o nosso máximo para conseguir", disse Camila.

A treinadora brasileira também avaliou o desempenho do time brasileiro ao longo da temporada, que confirmou a hegemonia na América do Sul em junho, vencendo o Campeonato Sul-Americano. O Conjunto do Brasil também teve ótimas performances na etapa da Copa do Mundo de Guadalajara (ESP), em maio, alcançando duas finais.

"Acredito que estamos chegando bem preparadas. Nos últimos tempos a equipe evoluiu bastante, elas estão conseguindo executar as séries, que estão bem difíceis, sem cometer falhas. A GR muda a cada dia, e maiores são as exigências. Nossas coreografias de 2019 tem um grau de dificuldade nunca antes realizado, todas as colaborações com muitos critérios para somar à nota final, e isso termina exigindo mais da equipe, mas sinto que elas estão prontas na hora certa para executar as séries. Agora é trabalhar a parte emocional do grupo para ganhar mais confiança e executar as séries como estão executando no treinamento". avaliou Camila. 

Camila Ferezin também falou sobre o aniversário de 20 anos da primeira medalha de ouro do Brasil na Ginástica Rítmica, em Winnipeg-1999, quando ela era uma das integrantes da equipe.

"A conquista de Winnipeg foi muito marcante. Ela foi a precursora, a que abriu as portas. As pessoas não conheciam a GR e de repente, depois daquele Pan, fomos destaque na televisão em rede nacional, com entrevistas e programas falando e mostrando a GR. Depois daquela conquista, o mundo passou a respeitar o Brasil. Para mim é uma grande alegria e emoção fazer parte dessa história. Temos uma tradição conquistada com muito esforço e trabalho, e é por isso que seguimos nessa luta. São 20 anos entre atleta, assistente técnica e treinadora, uma vida dedicada à GR do Brasil", disse Camila.

Individual: Natália Gaudio e Bárbara Domingos
Conjunto: Deborah Medrado, Camila Rossi, Nicole Pircio, Vitória Guerra e Beatriz Linhares

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes