Mundial de Vôlei de Praia 2019 - Dia 1


O Brasil estreou com sete vitórias e 100% de aproveitamento no Mundial de Vôlei de Praia, em Hamburgo (GER).

Masculino
Alison/Álvaro Filho (ES/PB) e Pedro Solberg/Vitor Felipe (RJ/PB) começaram a competição com o pé direito, somando pontos importantes pela fase de grupos. Outros dois times entram em quadra neste sábado (29.06): André Stein/George (ES/PB) e Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF).

A competição acontece a cada dois anos e é a principal da temporada 2019 do vôlei de praia, rendendo pontos à corrida olímpica brasileira. Os jogos desta sexta foram válidos pela fase de grupos, que segue até a próxima terça-feira (02.07). As duplas que entraram em quadra nesta sexta folgam um dia e voltam à disputa no domingo (veja abaixo).

Alison e Álvaro Filho superaram na estreia do grupo E os norte-americanos Billy Allen e Stafford Slick de virada, por 2 sets a 1 (19/21, 21/15, 15/10). No duelo acirrado, o menor número de pontos cedidos em erros foi fundamental para os brasileiros, que tiveram cinco erros, contra 12 dos adversários. Alison analisou o confronto.

“Jogamos contra eles em Itapema (SC) e vencemos por 2 sets a 1, de virada. É um time norte-americano, tem tradição, joga sacando bem. Dão uma encarada, gostam de jogar com o lado psicológico também, a gente respeita, mas não pode cair na tática. Começamos errando um pouco mais do que nosso time erra, mas foi importante reverter, chamar a torcida. E no tie-break fomos muito concentrados, já abrindo uma vantagem boa”, destacou.

O defensor e vice-campeão mundial de 2013, Álvaro Filho, também analisou a vitória de virada e destacou a capacidade de comunicação em quadra para reverter o primeiro set.

“Ajudamos muito um ao outro, acho que o grande mérito foi que estávamos conversando o tempo todo. Tive dificuldades na virada de bola no início, o jogo em cima de mim, mas Alison me ajudou muito, o saque dele entrou e passei a enxergar melhor a movimentação tática. Comecei a virar mais a bola, nosso jogo passou a fluir mais. Um jogo de estreia, nervoso, contra uma dupla que sabe jogar. Estamos evoluindo a cada dia, somos um time em crescimento. Estamos curtindo muito esse momento”, declarou.

Eles retornam à quadra neste domingo, às 11h (de Brasília), contra os catarianos Tamer e Mahmoud, que foram superados na estreia pelos russos Semenov/Leshukov.

Já Pedro Solberg e Vitor Felipe superaram os donos da casa Erdmann e Winter, da Alemanha, por 2 sets a 0 (21/18, 21/16). O triunfo pelo grupo A aconteceu contra um time formado poucos dias antes da competição, já que Winter atuaria originalmente com Walkenhorst, que se lesionou. Pedro comentou a vitória e como o time se comportou contra uma dupla que nunca havia enfrentado, comemorando a postura em quadra.

“É sempre triste quando alguém acaba fora do torneio desta maneira (por uma lesão), momentos antes de iniciar a competição. Mas esse time é muito forte, Erdmann é um ótimo atleta, já conquistou um bronze no Campeonato Mundial alguns anos atrás. Já esperávamos uma partida bastante dura. Nosso sonho é estar nos Jogos Olímpicos, estar aqui e ir bem no Campeonato Mundial, sabemos que é possível. Mas nosso objetivo é pensar ponto a ponto, passo a passo. Quando você começa a pensar muito longe, as coisas são mais complicadas. Acho que hoje nós atuamos ponto a ponto, focados em cada ponto que tínhamos que disputar e estou muito contente com a maneira como atuamos hoje, acho que é a maneira como temos que focar”, destacou o bloqueador carioca.


Um dos destaques da dupla foi o número de bloqueios: sete, sendo quatro de Vitor e três de Pedro. Eles também conseguiram três pontos de saque, garantindo vitória mesmo jogando contra a torcida. Pedro e Vitor encaram na próxima rodada os cubanos Gonzalez e Reyes no domingo (30.06), às 12h (de Brasília). Completam o grupo A os noruegueses Mol e Sorum.

Feminino
O Brasil largou com o pé direito na disputa do Mundial. Foram quatro jogos e quatro vitórias das duplas do país no torneio feminino nesta sexta-feira (28.06), com triunfos de Ágatha/Duda (PR/SE), Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), Carol Solberg/Maria Elisa (RJ) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ).

O primeiro time a entrar em quadra foi de Fernanda Berti/Bárbara Seixas. Elas começaram a caminhada no torneio superando as mexicanas Revuelta e Orellana por 2 sets a 0 (21/14, 21/12), pelo grupo L. A bloqueadora Fernanda foi a maior pontuadora do time, com 15 acertos. Elas também apresentaram poucos erros, cedendo sete pontos, contra 15 cedidos pelas mexicanas. Bárbara analisou o bom começo em Hamburgo.

“Foi um primeiro jogo bom para adquirirmos ritmo de competição, nos soltarmos. As mexicanas não rodam tanto o Circuito Mundial, então tivemos que estudar bastante, mas me senti muito bem na estreia”, disse Bárbara, que comentou estar recuperada de fratura no metacarpo. “Estou usando só uma proteção, mas estou me sentindo muito bem, não está atrapalhando minha performance. Estamos suscetíveis a essas coisas, mas não está atrapalhando nada, está recuperada”, destacou a defensora.

A próxima partida de Fernanda Berti e Bárbara Seixas acontece na segunda-feira (01.07), às 10h (de Brasília), contra as eslovacas Dubovcova e Strbova, que também venceram na estreia as outras adversárias do grupo, as finlandesas Lahti e Parkkinen.

Ágatha e Duda, atuais líderes do ranking do Circuito Mundial, também começaram com o pé direito. Elas venceram na estreia as cubanas Leila e Maylen por 2 sets a 0 (21/15, 21/12). Duda anotou impressionantes 21 pontos, maior pontuadora do duelo. As brasileiras sacaram bem, com cinco aces, além de terem recebido 13 pontos em erros das adversárias. Duda analisou o desafio da estreia e comentou as precauções para não serem surpreendidas.

“Começar com o pé direito é muito bom, fizemos um jogo muito bom na estreia, isso é importante também, dá ritmo para a sequência das partidas da chave. Temos muita informação de outras duplas, mas as cubanas disputam poucos torneios do circuito, tínhamos apenas dois vídeos delas. Esse é o perigo, não saber tanto da parte tática adversária, ser mais estudado do que conseguir estudar. Isso nos obriga a jogar praticamente sem erros, para que não tenhamos que depender de um erro delas. Mas tivemos uma regularidade muito boa para sair com a vitória neste primeiro desafio”.

Ágatha e Duda voltam à quadra no domingo (30.06), às 5h (de Brasília), contra as japonesas Ishii e Murakami, que na estreia perderam para as chinesas Fan Wang e Xinyi Xia.

Apontadas como favoritas em eleição com os técnicos dos times que disputam o Campeonato Mundial, Ana Patrícia e Rebecca largaram na disputa do grupo D sem dificuldades. Elas superaram Judith Hakizimana e Charlotte Nzayisenga, de Ruanda, por 2 sets a 0 (21/10, 21/9). Rebecca comentou o desafio de manter a concentração durante todo duelo, sem baixar o ritmo pela diferença de nível técnico entre as duas duplas.

“Nosso time jogou muito concentrado, mesmo sendo um duelo em que o nível técnico era mais baixo, mantivemos o foco para não deixar o ritmo cair. Fizemos uma boa partida, nos comunicando bem, ajudando uma a outra, foi um bom começo, mas sabemos que ainda tem muitos mais pela frente, foi só o primeiro passo”, destacou.

Ana, com 21 acertos, foi a maior pontuadora do duelo. As brasileiras acertaram 31 ataques, contra apenas 11 das adversárias. O próximo compromisso de Ana e Rebecca no torneio será no domingo (30.06), às 13h (de Brasília), contra as alemãs Bieneck e Schneider, que perderam na estreia para as espanholas Liliana e Elsa Baquerizo, que completam o grupo das brasileiras.

Fechando a participação brasileira feminina nesta sexta-feira, Carol Solberg e Maria Elisa tiveram uma vitória tranquila contra as nigerianas Ikhiede/Nnoruga pelo grupo J: 2 sets a 0 (21/11, 21/7). Maria Elisa destacou a importância do saque no duelo.

“Quando temos poucas informações sobre o outro time, que não disputa o Circuito Mundial, temos que focar em nosso saque. Fizemos isso muito bem e é o que nossa dupla tem de melhor. Temos que levar isso para os próximos jogos. Fomos aos poucos identificando a movimentação, ataques e posicionamento delas, conseguimos controlar bem para sair com essa vitória na estreia”, declarou Maria Elisa.

Carol Solberg e Maria Elisa voltam à quadra no domingo, às 15h30 (de Brasília), contra as alemãs Laura Ludwig, atual campeã mundial, e sua parceira desde o início do ano, Meg Kozuch. Completam a chave as norte-americanas Larsen e Stockman.

Foto: FIVB


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes