Guia do Mundial de Handebol Masculino de 2019

Começa na quinta (10) a vigésima sexta edição do mundial de handebol masculino, que será disputado pela primeira vez em dois países: Alemanha e Dinamarca. O maior campeão mundial de handebol é a França, com seis conquistas, com quatro títulos nas últimas cinco edições. Outra novidade e a participação da seleção de handebol da coreia unificada, formada por atletas da coreia do Sul e do Norte.

O formato do mundial volta com a fórmula usada até 2011: As vinte quatro seleções são divididas em quatro grupos com seis seleções cada. As três melhores seleções de cada grupo avançam à próxima fase enquanto as outras três seleções restantes disputam a President Cup, para definir do décimo terceiro ao vigésimo quarto lugar.

Na segunda fase as doze seleções são divididas em dois grupos de seis, levando os resultados da primeira fase - só se enfrentam na segunda fase quem não se enfrentou na primeira. As duas melhores seleções de cada grupo se classificam para semifinal e a final será disputada no dia 27.

Grupos

A (Sede - Berlim) - França, Alemanha, Rússia, Brasil, Sérvia e Coreia: A seleção brasileira caiu no grupo da morte. Tem a atual bicampeã mundial França e Alemanha jogando em casa,que com (quase) certeza se classificarão para a próxima fase. A terceira e última vaga será uma disputada por Brasil, Rússia e Sérvia, tem seleções de nível próximo e farão confrontos interessantes entre si. A Coreia, não deve se classificar, mas fica como destaque por estar jogando com os jogadores do sul e do norte.

Jogos do Brasil na primeira fase:

11/01 -  x  
12/01 -  x 
14/01 -  x 
15/01 -  x 
17/01 -  x

B (Sede - Munique) - Espanha, Croácia, Macedônia, Islândia, Bahrein e Japão: Espanha e Croácia devem capitalizar as ações desse grupo. Aliás, os espanhóis estão confiantes por terem vencido os franceses no campeonato europeu de 2018 - onde se sagraram campeões e esperam repetir a dose nesse mundial. Macedônia e Islândia devem disputar a vaga restante para a próxima fase e Bahrein e Japão, devem pegar experiência

C (Sede - Herning, exceto por Chile e Dinamarca que será em Copenhague) - Dinamarca, Noruega, Áustria, Tunísia, Chile e Arábia Saudita:  Um grupo para a Dinamarca brilhar. Sua adversária mais dura no grupo será a Noruega e ambas seleções devem estar na pintar na próxima fase. A terceira vaga deverá ficar com a Áustria. Chile e Tunísia - campeã africana - tem chances remotas de surpreender. Arábia Saudita fica onde está

D (Sede - Copenhague) - Suécia, Hungria, Catar, Argentina, Egito e Angola: Um grupo que tem mais ou menos seus favoritos definidos: Suécia -vice europeia -, Hungria e Catar - campeão asiático com o seu famoso 'catadão' de jogadores naturalizados - deverão ficar com as vagas do grupo. A Argentina, que retomou a hegemonia das Américas, vai tentar 'cometer o crime' e arrumar sua vaga para a próxima fase. Egito e Angola, vão pegar a tradicional experiência.

Por ser bicampeã mundial, a França tem o favoritismo com a sua seleção. Mas seleções como Espanha, Suécia e Dinamarca não podem ser descartadas como postulantes ao título. Noruega, Croácia, Hungria e Catar talvez estejam um nível abaixo, mas se conseguirem grandes atuações podem, brilhar nesse mundial. Ao Brasil, a ida à segunda fase já seria a melhor participação do país na história dos mundiais e os jogos contra Rússia e Sérvia serão verdadeiras decisões.

Nesta quinta (10) teremos dois jogos abrindo o mundial:
Alemanha x Coreia
Chile x Dinamarca

Foto: Divulgação

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes