Mundial de Ginástica Artística 2018 – Dia 4

As meninas do Brasil tiveram um desempenho similar aos homens e se garantiram em quatro finais: por equipes, individual geral com Jade Barbosa e Flávia Saraiva e no solo também com a Flavinha Saraiva.

O Brasil teve um grande desempenho nos saltos, aparelho em que terminou atrás apenas dos Estados Unidos com 43.532. Nas barras assimétricas, nosso calcanhar de Aquiles, as meninas foram regulares e fizeram 40.832, ficando em 7º lugar entre todas as equipes. No solo, outro bom desempenho. Com a nota 40.233, as meninas foram superadas apenas por Estados Unidos e Rússia. A decepção ficou por conta da trave, um dos nossos principais aparelhos. Quedas e desequilíbrios levaram o Brasil a ficar apenas em 12º lugar no exercício. Nem mesmo Flavinha Saraiva, esperança de grande resultado na trave conseguiu atender as expectativas.

No geral, a equipe foi muito bem. A qualificação em 5º lugar foi a melhor já conseguida pelo Brasil em mundiais e, nesse ponto, o fato de termos tido um mau desempenho na trave significa que a equipe pode superar essa pontuação e sonhar com a melhor colocação de sua história.

Já as americanas não foram alcançadas. Mantiveram-se intactas em primeiro lugar com uma margem pra lá de confortável para a Rússia, que ficou em segundo na classificação. Lembrando que os Estados Unidos não perdem uma competição por equipes no feminino desde 2010.

Vejamos os resultados de hoje e as ginastas qualificadas para finais.

DISPUTA POR EQUIPES

Sem surpresas, os Estados Unidos mantiveram a liderança. As brasileiras fizeram bonito e conseguiram um 5º lugar, indo pra final.

1) Estados Unidos: 174.429
2) Rússia: 165.497
3) China: 165.196
4) Canadá: 163.897
5) Brasil: 162.529
6) Japão: 162.180
7) França: 161.629
8) Alemanha: 161.071

A equipe da Grã-Bretanha, que ficou em quinto lugar na Olimpíada do Rio/2016, e a da Holanda, que terminou em 7º, não se classificaram para as finais. Na disputa olímpica, as duas terminaram a frente das brasileiras.

Lembrando que as equipes que forem ao pódio, estarão automaticamente classificadas para a Olimpíada de Tóquio/2020. Outros eventos qualificatórios serão realizados em 2019 e 2020. O mundial de 2019, por exemplo, dará outras 9 vagas para Tóquio/2020. É importante lembrar, ainda, que apenas as 24 melhores equipes do mundial de Doha se garantiram no mundial do ano que vem. Além das equipes acima, disputarão as vagas olímpicas no mundial de Stuttgart/2019, na Alemanha: Bélgica (11º), Itália (12º), Romênia (13º), Coreia do Sul (14º), Austrália (15º), Coreia do Norte (16º), Hungria (17º), Espanha (18º), México (19º), Ucrânia (20º), Suiça (21º), Polônia (22º), Argentina (23º) e República Tcheca (24º).

INDIVIDUAL GERAL

Ninguém alcançou Simone Biles no individual geral. A americana é franco-favorita. Hoje foram conhecidas as 24 ginastas mais completas do mundo, que disputarão a final na próxima semana. Respeitando o limite de duas atletas por país na final.

Estas são as finalistas:

1) Simone Biles (USA): 60.965
2) Morgan Hurd (USA): 56.465
3) Mai Murakami (JAP): 55.632
4) Nina Derwael (BEL): 55.564
5) Angelina Melnikova (RUS):55.465
6) Elisabeth Black (CAN): 54.999
7) Melanie de Jesus dos Santos (FRA): 54.798
8) Riley Mc Cusker (USA): 54.765 (fora da disputa devido à barreira das cotas por país)
9) Huan Luo (CHN): 54.131
10) Flávia Saraiva (BRA): 53.999
11) Elissa Downie (GBR): 53.532
12) Irina Alekseeva (RUS): 53.532
13) Yile Chen (CHN): 53.499
14) Asuka Teramoto (JPN): 53.466
15) Kelly Simm (GBR): 53.099
16) Hitomi Hatakeda (JPN): 52.932 (fora da disputa devido à barreira das cotas por país)
17) Naomi Visser (NED): 52.832
18) Elisabeth Seitz (GER): 52.798
19) Denisa Golgota (ROU): 52.765
20) Jade Barbosa (BRA): 52.733
21) Brooklyn Moors (CAN): 52.632
22) Jin Zhang (CHN): 52.266 (fora da disputa devido à barreira das cotas por país)
23) Lara Mori (ITA): 52.199
24) Zsofia Kovacs (HUN): 52.165
25) Lorette Charpy (FRA): 52.165
26) Ana Perez (ESP): 52.132
27) Axelle Klinckaert (BEL): 52.074

DISPUTAS POR APARELHOS

Na disputa por aparelhos, apenas Flávia Saraiva conseguiu vaga nas finais. Ela ficou entre as melhores no solo. Rebeca Andrade passou perto nas barras assimétricas e no salto, exercício em que o Brasil teve as melhores notas, nenhuma ginasta tentou o segundo salto que credenciaria à disputa por medalhas. Uma pena, porque teriam boas chances.

No mais, não teve pra ninguém. Simone Biles liderou no solo, na trave e no salto. Apenas nas barras assimétricas ela não se classificou em primeiro. Essas são as finalistas:

SOLO

1) Simone Biles (USA): 15.333
2) Mai Murakami (JPN): 14.100
3) Angelina Melnikova (RUS): 14.033
4) Morgan Hurd (USA): 13.933
5) Flávia Saraiva (BRA): 13.900
6) Melanie de Jesus dos Santos (FRA): 13.900
7) Grace Mc Callum (USA): 13.800 (fora da disputa devido à barreira das cotas por país)
8) Lillia Akhaimova (RUS): 13.600
9) Brooklyn Moors (CAN): 13.500

Prova tradicional do Brasil, em que temos duas medalhas em mundiais no feminino: ouro com Dayane dos Santos e prata com Daniele Hypólito, garantimos mais uma final. Ano passado Thaís Fidélis ficou na 4ª colocação. Nossas meninas tiverem um bom desempenho. Jade Barbosa ficou em 19º com 13.200, Thaís Fidélis em 22º com 13.133 e Lorrane Oliveira em 28º com 13.033.

SALTO

1) Simone Biles (USA): 15.666
2) Shallon Olsen (CAN): 14.700
3) Yeo Seojeong (KOR): 14.483
4) Alexa Moreno (MEX): 14.466
5) Oksana Chusovitina (UZB): 14.200
6) Rye Yong Pyon (PRK): 14.133
7) Elisabeth Black (CAN): 14.124
8) Jinru Liu (CHN): 14.166

TRAVE

1) Simone Biles (USA): 14.800
2) Kara Eaker (USA): 14.466
3) Jin Zhang (CHN): 14.100
4) Sanne Wevers (NED): 14.033
5) Anne-Marie Padurariu (CAN): 13.966
6) Nina Derwael (BEL): 13.766
7) Elisabeth Black (CAN): 13.733
8) Tingting Liu (CHN): 13.733

A passagem das brasileiras não foi nada bom. Nosso pior desempenho hoje. Flavinha Saraiva, cotada para a final, ficou apenas em 17º com 13.233, e foi a melhor brasileira no aparelho. Rebeca Andrade ficou em 52º (12.633), Lorrane Oliveira em 72º (12.066) e Jade Barbosa em 97º (11.700).

BARRAS ASSIMÉTRICAS

1) Nina Derwael (BEL): 15.066
2) Simone Biles(USA): 14.866
3) Elisabeth Seitz (GER): 14.566
4) Huan Luo (CHN): 14.466
5) Morgan Hurd (USA): 14.466
6) Aliya Mustafina (RUS): 14.433
7) Jonna Adlerteg (SWE): 14.433
8) Rebecca Downie (GBR): 14.400

Um aparelho que não traz boas recordações para o Brasil, hoje foi uma grata surpresa. O Brasil ficou entre as oito melhores equipes no exercício. Por pouco não tivemos a Rebecca entre as finalistas. Está na reserva. 10º lugar para a brasileira com 14.333. Na verdade, Rebecca está empatada com o 9º lugar, a chinesa Tingting Liu, porém nos critérios de desempata (melhor nota de execução), a chinesa levou a melhor.

Lorrane Oliveira fez 13.166 (37º), Flávia Saraiva 12.400 (64º), Jade Barbosa 13.333 (34º). 

Nesta segunda-feira, será dada a largada das disputas finais, com a categoria masculina. Na terça é a vez do time feminino decidir. O individual será disputado entre quarta-feira e domingo.

Foto: RicardoBufolin/PanamericaPress/CBG

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes