Cinco razões para acompanhar de perto o Mundial de Ginástica Artística

Para a Ginástica Artística, o caminho para Tóquio 2020 começa em Doha (QAT), no Oriente Médio, onde o Campeonato Mundial da modalidade acontece pela primeira vez. A capital do Catar será palco do 48º Campeonato Mundial de Ginástica Artística da Federação Internacional de Ginástica (FIG), de 25 de outubro a 3 de novembro de 2018, quando os melhores ginastas do mundo lutarão por medalhas e qualificação olímpica.

Dentre diversos motivos para você ficar ligado nesse mundial, selecionamos cinco razões essenciais:

1) Oriente Médio quer fazer história

A Ginástica Artística vai estender seu alcance para uma nova era em 2018. A emoção do Campeonato Mundial se desdobrará pela primeira vez na Ásia Ocidental, após um século de competições na Europa, América do Norte, Austrália e Ásia Oriental.

A cidade de Doha, nos últimos anos, tornou-se um local familiar para as principais competições de Ginástica Artística no século XXI. A Copa do Mundo de Doha é realizada anualmente desde 2008, atraindo muitas das principais estrelas, e o Aspire Dome (local que receberá as provas) também foi palco da competição de Ginástica nos Jogos Asiáticos de 2006.

2) Primeira qualificação olímpica

Mais de 500 ginastas de 76 nações competirão por oito conjuntos de medalhas para homens e seis para mulheres. Além das medalhas, três vagas olímpicas para homens e mulheres estarão em jogo na competição por equipes em Doha. Assim, as nações que forem ao pódio no mundial, por equipes, ganharão vagas automáticas para Tóquio 2020. Outros eventos qualificatórios serão realizados em 2019 e 2020.

O retorno da competição por equipes - que não foi disputada no Campeonato Mundial de 2017, disputada em Montreal – marcará o acirramento das rivalidades do Rio/2016, prometendo confrontos emocionantes nas finais.

3) Simone Biles está de volta (e em grande forma)

A ginasta dominante no quadriênio 2013-16 e campeã olímpica, Simone Biles (EUA) regressou às competições este ano, após um ano sabático, e deixou todos atônitos ao voltar voando e vencendo várias categorias do campeonato norte-americanos. Biles atualizou todas as suas rotinas e, acreditem, elas estão ainda mais complexas, com grau de dificuldade elevadíssimo. A texana de 21 anos está empatada com Svetlana Khorkina (RUS) como as maiores vencedoras de títulos no individual geral, com três (2013, 2014 e 2015), e parece vir forte pra figurar sozinha nos livros de recordes com quatro vitórias.

4) Grandes estrelas da ginástica mundial

O impressionante elenco de Doha inclui mais de 20 campeões mundiais e olímpicos ansiosos para conquistar mais medalhas. Os atuais campeões olímpicos no individual geral, Biles e Kohei Uchimura (JPN), tentarão recuperar seus postos de campeões mundiais, atualmente pertencentes a Morgan Hurd (EUA) e Xiao Ruoteng (CHN), respectivamente. A competição pelas medalhas de aparelhos individuais será ainda mais intensa. Super estrelas como Aliia Mustafina (RUS), Max Whitlock (GBR), Sanne Wevers (NED), Kenzo Shirai (JPN), Oleg Verniaiev (UKR), Arthur Zanette (BRA), Mai Murakami (JPN), Epke Zonderland (NED), Ri Se Gwang (PRK), e Zou Jingyuan (CHN) são apenas alguns dos campeões mundiais e/ou olímpicos indo em busca de mais ouros em Doha.

O elenco ainda inclui a atleta olímpica Oksana Chusovitina (UZB), que, aos 43 anos, continua deixando a torcida delirada, enquanto se dirige a uma oitava olimpíada sem precedentes.

5) História em construção: podem surgir novos talentos

Os grandes nomes estarão lutando mais do que nunca em Doha, onde vão enfrentar a mais nova geração de talentos da ginástica, que estão ansiosos por ter a chance de se destacar e colocar o prórpio nome na história da ginástica mundial. Vários jovens são candidatos a esse feito. Rhys McClenaghan (IRL) derrotou o campeão olímpico de cavalo com alça, Max Whitlock, nos Jogos da Commonwealth e Campeonatos Europeus deste ano, ganhando impulso para o mundial, podendo se tornar o primeiro ginasta irlandês na história a ganhar uma medalha nesse campeonato. A campeã dos Jogos Asiáticos, Vault Yeo Seojeong, de 16 anos, filha do campeão mundial e medalhista olímpico Yeo Hong-chul, pode seguir os passos de seu pai como a primeira ginasta da República da Coreia a conseguir a honraria.

Tem como perder esse grande evento? Fique ligado no Surto Olímpico, que faremos o dia a dia do mundial, com todos os detalhes pra você ficar por dentro de tudo o que acontece em Doha.


Foto: (Instagram/Simone Biles)



Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes