Estrutura para aclimatação do judô do Brasil para os Jogos de 2020 está quase pronta

“O esforço contínuo é o caminho para a vitória”. A frase está por toda parte em Hamamatsu, cidade escolhida pela Confederação Brasileira de Judô, em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil, para receber a seleção brasileira na fase de aclimatação para os Jogos de Tóquio 2020. As faixas e cartazes feitos pela prefeitura local para incentivar os judocas servem também de resumo do trabalho incansável feito pelos japoneses para entregar ao Brasil a melhor estrutura possível. Dos tatames de último modelo, usados no Grand Slam de Tóquio e agora a serviço do Brasil nos treinos, aos pequenos detalhes do dia a dia, tudo é feito com o máximo de cuidado e atenção.

“A cada vinda nossa a Hamamatsu a estrutura evolui dentro do que solicitamos. A pouco mais de dois anos para as Olimpíadas, estamos muito perto do formato que consideramos ideal para a preparação final da equipe”, comenta o gestor de alto rendimento da CBJ, Ney Wilson.

Integrantes de diversas áreas técnicas da CBJ estão acompanhando a viagem deste ano e também elogiam o trabalho dos anfitriões.

“Na parte de musculação, pedimos no ano passado que fosse montada uma academia com cargas mais pesadas para atender aos judocas. Ao chegarmos aqui, nos surpreendemos com tudo o que eles fizeram, em tão pouco tempo, para suprir essa demanda”, diz o preparador físico Josué Moraes.

As áreas médica e de fisioterapia também mereceram atenção dos japoneses. O médico Mateus Saito e os fisioterapeutas Roberta Mattar e Rodolfo Monteiro ajustam os últimos detalhes da operação. Neste sábado, eles visitarão o hospital de referência em Hamamatsu.

Já a nutricionista Roberta Lima se reuniu com o chef Toyama para deixar as refeições ainda mais afinadas com o paladar brasileiro.

“Nossos atletas estão acostumados à culinária japonesa, mas é sempre bom ter algumas referências familiares”, diz ela, satisfeita também com a estrutura de hidratação e reposição energética oferecida pela organização durante os treinos.

Aurélio Miguel, que acompanha a delegação, também elogiou a estrutura planejada pela CBJ.

“As condições oferecidas para os atletas são as melhores possíveis. Agora é com cada um deles treinar e entregar o máximo no tatame em busca dos resultados”, comentou.

Além das acomodações no hotel The Hamanako, que conta com sala privativa para refeições e reunião, a CBJ terá à disposição o salão principal do Ginásio Municipal, com duas áreas oficiais, academia, sala de fisioterapia, alongamento, reunião e médica e uma arquibancada para torcida e imprensa acompanharem os treinos abertos.

“Quando começarem os Jogos estaremos torcendo pelo Japão, claro, mas o coração de todos em Hamamatsu será também da seleção brasileira de judô. Torcemos e vibramos por eles”, concluiu Seiko Terada, diretora de cultura e esporte da cidade de Hamamatsu.

Foto; Divulgação


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes