Por lesão em 2017, Diego Hypólito perde bolsa pódio e critica: "Um plano no lixo"

O ginasta brasileiro Diego Hypolito, Duas vezes campeão mundial e vice-campeão olímpico, em 2016, o atleta, aos 31 anos, ainda é um dos principais nomes da ginástica artística do Brasil, mas por conta de uma lesão em 2017, ficará sem o auxílio do bolsa pódio do governo federal. Em entrevista ao site GloboEsporte.com, Diego falou sobre seu descontentamento com o plano do Ministério do Esporte, do qual, ficará fora em breve por não estar entre os 20 primeiros do cenário mundial:

"Isso pra mim é uma coisa absurda. É jogar um plano no lixo. A sensação que me dá é que você está desvalorizando uma medalhista olímpico. Nosso país está muito cru. Essa questão do Ministério me deixou muito chateado" disse Diego.

O motivo do inevitável corte é a saída de Diego do top 20 do cenário mundial do solo, após um ano afastado das competições internacionais, se recuperando de uma cirurgia na coluna. A Bolsa Pódio é oferecida a cada 12 meses a atletas que figuram entre os 20 primeiros do mundo. Disputando apenas duas competições nacionais no fim de 2017, o vice-campeão olímpico se distanciou do topo do ranking e não vai ter tempo de alcançar a posição necessária antes das inscrições para renovação do programa, que geralmente ocorrem entre março e abril.

No fim de 2016, o ginasta passou por uma longa cirurgia, de 11 horas de duração, na coluna. As dores que o incomodavam há muito tempo finalmente sumiram.

"Fiz uma cirurgia e tive que ficar afastado durante algum tempo para continuar na ginástica, não foi simplesmente por lazer ou estética. Por conta disso, eu fiquei fora do cenário mundial. Mas é errado eu ficar fora de um plano que é feito visando os principais atletas do mundo, entre os quais eu estou. Sou medalhista olímpico e vou ficar fora por causa de uma lei escrita em algum lugar que diz que você tem que estar dessa e dessa maneira. É uma coisa que a gente tem que falar sempre. Quando a gente não fala... já viu, né?" disse Diego.

O Ministério do Esporte reiterou que, para ser contemplado com a bolsa, Diego terá que atender aos requisitos propostos pela lei e frisou que lesões não são motivações para o Ministério deixar de apoiar os atletas.

"O atleta Diego Hypolito é patrocinado pelo Ministério do Esporte por meio da categoria Pódio, a mais alta do Programa Bolsa Atleta. O ginasta foi contemplado na primeira lista do edital do Programa para o Ciclo dos Jogos de Tóquio 2020, publicada no dia 26 de maio de 2017. Vale destacar que o ministério investiu R$ 723,6 mil diretamente na preparação do ginasta entre 2011 e 2017. Outros R$ 60 mil estão previstos até junho de 2018, quando ocorrerá o processo de renovação da bolsa. A pasta também reforça que lesão não é motivação para deixar de apoiar atletas, visto que é característica do esporte de alto rendimento. Para a bolsa do ginasta ser renovada em 2018, o atleta deverá atender aos requisitos previstos na Lei nº 12.395/2011 e Portaria nº 67/2013, que disciplinam o Programa Bolsa Atleta – Categoria Pódio. A legislação determina que o atleta esteja em plena atividade, vinculado a uma entidade de prática esportiva ou a alguma entidade nacional de administração do desporto e entre os 20 primeiros no ranking mundial da modalidade ou prova específica. O atleta deverá, ainda, ser indicado pela Confederação Brasileira de Ginástica, em conjunto com o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e o Ministério do Esporte" Respondeu a porta-voz do Ministério do Esporte.


foto: Getty Images

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes