WADA recomenda que COI utilize frascos de 2016 ao invés dos de 2017 em PyeongChang

A Agência Mundial Antidopagem (WADA) recomendou ao Comitê Olímpico Internacional (COI) que utilize os frascos de 2016 para recolher as amostras de doping nos próximos Jogos Olímpicos de Inverno após um inquérito da agência apontar que a versão 2017 mostrou que os frascos do ano passado poderiam ser reabertas após uma amostra ter sido colhida.

Na terça-feira o COI disse que estava "muito preocupado" com os novos modelos de frascos, fornecidos pelo fabricante suíço Berlinger, que poderiam ser abertos. A própria agência antidopagem da Suécia disse que iria parar de utilizá-los.

Em um comunicado emitida na quarta-feira, a WADA confirmou que uma percentagem da nova geração de frascos de segurança BEREG-KIT Genebra eram "suscetíveis a abertura manual sem evidências de adulteração, seja elas congeladas ou não". Esses frascos de segurança foram introduzidas em setembro de 2017.

Depois de determinar que alguns dos frascos mais recentes poderiam ser "abertas manualmente após o bloqueio inicial", a WADA disse que havia obtido quantidade suficiente dos fracos de doping de 2016, que foram usadas pela primeira vez nos Jogos Olímpicos do Rio, para cobrir todo o programa de testes dos Jogos de Pyeongchang, que começam em 9 de fevereiro, na Coréia do Sul.

"Nesta fase, a nossa clara recomendação ao COI é que continue a usar o modelo anterior, que ainda é utilizado por várias autoridades de testes em todo o mundo. Isso deve ser visto como uma medida preventiva que garante a integridade do processo de controle de doping nos Jogos ", disse Olivier Niggli, CEO da WADA. "Para o longo prazo, a WADA continuará a coletar informações e explorar soluções com o Berlinger e outros laboratórios, a fim de manter a integridade do processo. Berlinger já concordou em reiniciar a produção do modelo de 2016 enquanto aguarda o desenvolvimento de outros modelos", concluiu.

As garrafas de doping mais novas foram introduzidas no ano passado com o objetivo de aumentar a segurança no processo depois que pesquisadores descobriram que os russos conseguiram abrir de forma ilícita os frascos com as amostras de seus atletas nas Olimpíadas de Sochi e trocaram amostras de urina contaminada por produtos limpos previamente fornecidos pelo mesmo atleta.


O COI disse em um comunicado que estava "muito preocupado com esta questão" e pediu à WADA para garantir a integridade dos testes em Pyeongchang. "Desde o momento em que ficamos sabendo sobre isso, imediatamente nos dirigimos à WADA e pedimos que eles assegurem que os testes antidoping em Pyeongchang possam ser conduzidos de maneira credível e confiável", disse o COI nesta terça-feira. "A WADA nos informou que estavam em contato com o fabricante dos frascos Berlinger. Temos plena confiança na WADA, que encontrarão uma solução para esta questão ".

Foto: AP


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes