Ex-médico da seleção americana de ginástica é condenado a 175 anos de prisão por abusos sexuais

Depois de sete dias de depoimentos de suas vítimas de abuso sexual, o ex-médico americano Larry Nassar  recebeu nesta quarta-feira(24) a sentença referente a sete dos seus crimes cometidos em Michigan. A juíza Rosemarie Aquilina cumpriu o prometido às sobreviventes que compartilharam suas histórias e deu a pena para Nassar: Entre 40 e 175 anos de prisão. Ele tem 21 dias para recorrer da sentença desta quarta-feira.

"Estou considerando o impacto de todos os depoimentos, não apenas das sete mulheres relacionadas às acusações. Não era médico o que você fez, não era um tratamento. Você não é um médico. Não mandaria meus cachorros para você. Você sabia que tinha um problema desde jovem, antes de virar um médico. Isso está claro para mim. Você poderia ter se afastado da tentação, mas não o fez. Sua decisão de molestar foi precisa, calculada, desonesta, desprezível. Vou honrar o acordo e fazer o que me foi solicitado. É meu privilégio te condenar a 40 anos. Você é um perigo. Você continua sendo um perigo" disse a juíza Aquilina.

Nassar, de 54 anos, já estava cumprindo sua primeira pena, 60 anos de prisão por pornografia infantil. Ele se declarou culpado por molestar de sete mulheres no Condado de Ingham e três no de Eaton. Por esses crimes ele foi condenado nesta quarta-feira, mas todas as vítimas de Nassar ganharam voz em declarações de impacto. Somando a primeira condenação, o médico pode pedir liberdade condicional em 99 anos - já cumpriu o primeiro ano de prisão.

"Suas palavras nos últimos sete dias tiveram um impacto significativo em mim, me abalaram muito. Não tenho palavras para dizer o quanto estou arrependido. Vou carregar suas palavras pelo resto dos meus dias" disse Nassar, minutos antes de receber a sentença.

Os crimes de Larry Nassar ganharam as manchetes principalmente por ele ter molestado as ginastas da seleção americana, inclusive as campeãs olímpicas Simone Biles, Gabby Douglas, Aly Raisman, Jordyn Wieber e McKayla Maroney. Ele também abusou de atletas da Universidade de Michigan. No total, foram 156 depoimentos de mulheres que afirmam terem sido molestadas por Nassar.

Durante muitos depoimentos, as vítimas criticaram a USA Gymnastics e a Universidade de Michigan - o Comitê Olímpico dos Estados Unidos também foi lembrado não raras vezes. As entidades são acusadas de acobertarem os crimes de Larry Nassar. Algumas mulheres inclusive pediram para o ex-médico contar quem sabia de seus abusos e quando.

"É preciso haver uma investigação massiva sobre por que houve silêncio e inatividade contra os abusos de Nassar em um quarto de século" disse a juíza Rosemarie Aquilina.


foto: Brendan McDermit/Reuters

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes