Definidas as finais do Troféu Brasil de Ginástica Artística


O ginásio da Sogipa, em Porto Alegre, viveu mais um dia de fortes emoções no Troféu Brasil Loterias Caixa de Ginástica Artística. No encerramento da fase de classificação dos aparelhos, na sexta-feira (20) o destaque recaiu sobre a disputa na trave de equilíbrio, que reuniu grandes estrelas do esporte, como Rebeca Andrade, Flavia Saraiva e Jade Barbosa, todas do Flamengo. Rebeca, finalista nesse aparelho (6ª) no Mundial de Kitakyushu, classificou-se na primeira colocação, com a nota 14.367. Mostrando sua habitual frieza em competições, a campeã olímpica não fez todas as conexões, priorizando a consistência na série. Ao final, ela mostrou uma saída inédita, com rodante flic e duplo mortal carpado.

Flavia Saraiva, quinta colocada no aparelho na Rio 2016 e sétima em Tóquio, também apresentou uma série muito competitiva e recebeu uma nota muito próxima de sua colega no clube da Gávea – 14.167, o que desde já projeta uma final emocionante e de alto nível técnico.

No solo, a jovem e promissora ginasta paraense Andreza de Lima conseguiu a primeira colocação, com a nota 13.000. A atleta do Grêmio Náutico União, de apenas 15 anos de idade, vem de destacadas campanhas nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Rosário, e nos Jogos Pan-Americanos Júnior de Cáli.

Nas disputas do masculino, chamou a atenção a prova das paralelas. Finalista no aparelho no Mundial de 2021, Caio Souza, do Minas Tênis Clube, fez uma apresentação bastante consistente e obteve a nota 14.350. Francisco Barretto (Pinheiros), reconhecido como o melhor atleta dos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, também conseguiu bom desempenho e somou 13.500. Na terceira colocação ficou outro ginasta com currículo expressivo em nível internacional, Arthur Nory, também do Pinheiros (13.300).

João Vieira fez novamente a festa da torcida local, do Sogipa. Se na véspera o ginasta do clube gaúcho havia se classificado na primeira colocação no solo, nesta sexta-feira ele repetiu o feito, ao alcançar a melhor média no salto (14.425). Arthur Zanetti (SERC), que estava cotado para a final, teve a nota prejudicada por não ter conseguido finalizar o primeiro salto em pé. Entre os clubes que conseguiram emplacar finalistas, destaque para o Brasil Futebol Clube, centenária agremiação de Santos. Seu representante, Rodrigo Santos, conseguiu a sétima colocação (13.475).

Na barra fixa, mais uma disputa notável. O incansável Caio Souza, que se inscreveu em todos os aparelhos, classificou-se em primeiro lugar (14.550). Campeão mundial nesse aparelho em 2019, Arthur Nory conseguiu a segunda melhor nota (14.300). Outro ginasta muito competitivo, o promissor Diogo Soares (13.450), mostrou que é candidatíssimo a um lugar no pódio desse aparelho, ao obter a terceira posição.

Foto: Fernando Gomes/CBG

Postar um comentário

To Top