Conheça as duas judias ortodoxas que estão fazendo história nos esportes de inverno israelense


O judaísmo é considerado a primeira religião do mundo a ser monoteísta, ou seja, a ter apenas um Deus. Atualmente, segundo dados da Agência Judaica, existem 15,2 milhões de judeus no mundo, sendo a maioria secular, ou seja, não cumprindo ortodoxamente os preceitos da religião.


Apesar disso, ainda há muitas comunidades ortodoxas espalhadas pelo mundo, principalmente em Israel, na cidade de Nova York e em Londres. Um dos rituais judaicos mais conhecidos é o Shabat, que começa toda sexta ao aparecer da primeira estrela e termina 25 horas depois no sábado, sendo proibido qualquer trabalho durante esse período. 


Esse é um dos desafios de conciliar religião e esporte enfrentado pela patinadora Hailey Kops, de 19 anos e pela esquiadora paralímpica Sheina Vaspi, de 20 anos, que será a primeira israelense em Jogos Paralímpicos de Inverno.

A paraatleta Sheina Vaspi (Foto: IPC)

O país é forte nas Paralimpíadas de Verão, ganhando 129 ouros no total e chegou a sediar a edição de 1968, após a Cidade do México desistir de sediar a competição, mas nunca participou da versão de inverno da competição.


Segundo Boris Chait, presidente da Federação Israelense de patinação artística, é extremamente raro um judeu ortodoxo representar o país nos Jogos Olímpicos, sejam no de verão ou no de inverno.


Kops estará na disputa dos pares em parceria com Evgeni Krasnopolsky e a menos de um ano estava em um seminário religioso na cidade sagrada de Jerusalém.  Ela voltou a treinar em junho de 2021 e logo recebeu a ligação de Chait para tentar se classificar ao time olímpico do país.

Kops e Kranopolsky durante torneio em dezembro (Foto: Absolute Skating)

Com apenas três meses de treinamento, os dois se garantiram nos Jogos após ficarem na quinta colocação no Troféu Nebelhorn, em outubro de 2021. 


A prova ocorreu numa sexta-feira à noite, durante o Shabat, o que levou ela a comemorar apenas com seus pais que estavam presentes no torneio. Em Pequim, o problema se repetirá, mas Kops falou que está tudo bem e que se sente confortável em equilibrar a vida religiosa com a vida de atleta.


A história de Vaspi começa aos três anos de idade, quando teve a perna amputada após um acidente de carro. Aos 17, ela entrou para a Erez Foundation, organização que ajuda deficientes de todas as idades, a praticarem esportes radicais.


Ela não esquia aos sábados e usa saia sobre as calças de esqui, seguindo a vestimenta tradicional das mulheres mais ortodoxas. 


Pioneira em Paralimpíadas, ela também foi a primeira israelense a participar do Mundial Paralímpico de esqui alpino, realizado em Lillehammer no ano passado. 


Kops irá competir no dia 18 de fevereiro às 07h35 (horário de Brasília) no programa curto de pares e se conseguirem a vaga para o programa longo, ela retorna ao rinque no dia seguinte às 08h05. Já os Jogos Paralímpicos começam no dia 4 de março e terminam no dia 13.


Foto: KrPhotogs Photography LLC

Postar um comentário

To Top