Arremessador Darlan Romani disputará os Mundiais Indoor e Outdoor em 2022


O catarinense Darlan Romani, recordista sul-americano do arremesso do peso, confirmou que disputará o Mundial Indoor de Belgrado, de 18 a 20 de março, na Sérvia, e o Mundial de Oregon, ao ar livre, de 15 a 24 de julho, em Eugene, nos Estados Unidos.

Quarto colocado nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, em 2021, e no Mundial de Doha, no Catar, em 2019, Darlan fará dois picos de treinamento nesta temporada. Para isso, contará com a ajuda presencial do especialista cubano Justo Navarro, que tem volta marcada para o Brasil no dia 1 de janeiro, depois de mais de ano em Cuba, retido por causa da pandemia global da COVID-19.

“Voltei a treinar forte depois da Olimpíada. O objetivo é Paris-2024 e todas as competições importantes até lá”, disse Darlan, que ficou em quarto lugar no Mundial Indoor de Birmingham, na Grã-Bretanha, em 2018.

Um dos principais atletas do Brasil, nos últimos anos, Darlan, de 30 anos, enfrentou muitas dificuldades em 2021. Sofreu com uma hérnia de disco, que exigiu uma cirurgia em fevereiro, foi contaminado pelo novo coranavírus e ficou longe de seu treinador. Justo orienta o brasileiro desde 2010.

Mesmo assim, o atleta se superou e terminou o ano em oitavo lugar no Ranking Mundial da World Athletics, com a marca de 21,88 m, obtida no dia 5 de agosto, no Estádio Olímpico de Tóquio. O melhor resultado de Darlan é de 22,61 m, alcançado no dia 30 de junho de 2019, em Palo Alto, nos Estados Unidos.

Ganhador do Prêmio Atleta de Valor 2021, da instituição Sou do Esporte, na categoria olímpica, o catarinense da cidade de Concórdia tem uma carreira vitoriosa. É campeão brasileiro, sul-americano, dos Jogos Pan-Americanos, do Mundial Militar e da Copa Continental da World Athletics, quando representou a seleção das Américas.

“Foram tempos difíceis, de improvisação por causa da COVID. O Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo, em Bragança Paulista, fechou em 2020. Fiz um setor de arremessos num terreno ao lado de casa, montei uma academia na minha residência com equipamentos emprestados pela Confederação, usei material do meu projeto social”, contou o arremessador. “Nunca fico satisfeito com os resultados. Quero sempre mais. Não estou feliz com as marcas de 2020, de 21,52 m, nem de 2021, com 21,88 m. Sei que posso conseguir mais."

O arremessador, que pensava em ser motorista de ônibus quando criança – seu pai tinha uma empresa de transporte no Oeste de Santa Catarina -, não gosta de fazer previsões. “Não falo de marcas. Eu entro para competir comigo, não com ninguém. Para dominar o estresse do dia a dia, Darlan tem um remédio. "Pego meu caminhão e dou uma voltas por Bragança Paulista", revelou o atleta, que tem uma empresa de transportes, é casado com Sara Romani, ex-atleta do salto com vara, e pai de Alice, de 6 anos.

Foto: Darlan Romani/CBAt

0 Comentários