Amanda Schott conquista a segunda medalha do levantamento de pesos feminino do Brasil em Mundiais


Depois de prata inédita conquistada por Laura Amaro na última terça-feira, Amanda Schott levou mais uma medalha para o Brasil no Mundial de levantamento de pesos, desta vez um bronze na categoria para 87kg. A brasileira conseguiu o pódio ao levantar 106kg no arranco nesta quinta-feira (16) na plataforma do Complexo Esportivo do Uzbequistão, em Tashkent. Essa é a segunda medalha de uma brasileira em Mundiais e a terceira do país em toda a história.

A pesista do Brasil, que fez a sua estreia em competições do escalão, ainda ficou em boas colocações nas disputas do arremesso e no total: quinta colocação nas duas provas. A posição foi alcançada em razão da atleta ter feito 130kg no arremesso e somado 236kg.

Amanda Schott teve um excelente início de arranco. Para a primeira tentativa, a brasileira foi incentivada pelos gritos de apoio do treinador Dragos Stanica e da delegação brasileira. E funcionou. Ela fez um movimento perfeito para levantar 102kg.

A sua volta à plataforma foi com quatro quilos a mais na barra, que pareceram leves para ela: a pesista fez uma ação correta e ergueu os 106kg, muito comemorados. Por fim, o último arranco da brasileira foi de 109kg. Ela foi confiante para o movimento, mas não finalizou corretamente. Apesar de insucesso no último intento, os 106kg foram suficientes para a medalha de bronze.

“Estou mega, ultra, absurdamente feliz. Essa é apenas a minha segunda competição internacional e é o meu primeiro Mundial. Sem dúvidas a minha postura aqui foi de longe a minha melhor de todos os campeonatos que participei. Estou muito feliz em representar a Seleção Brasileira e é inacreditável a conquista da medalha. É só o início, ainda tenho muita história para escrever”, enalteceu, ainda incrédula, a brasileira, que está somente há dois anos na modalidade.

A felicidade de Amanda se alastrou por toda a equipe que a acompanha em Tashkent. O treinador Stanica é uma dessas pessoas, que fez questão de relembrar que o Mundial, em Tashkent, é apenas a primeira competição deste nível mundial para a brasileira.

“É uma medalha sensacional, um resultado inesperado. A gente pensou que seria possível na categoria para 81kg, mas ela pediu 87kg e lutou muito bem. Ela conseguiu se concentrar na competição. É um resultado sensacional para alguém que fez a primeira competição deste poste na vida”, comemorou o técnico.

O ouro do arranco foi para a atleta da casa, Tursunoy Jabborova, que foi ovacionada pelo público ao erguer 113kg. No degrau abaixo do pódio ficou a mongol Ankhtsetseg Munkhjantsan, que executou 109kg de levantamento.

Para o arremesso, Amanda pediu 123kg para a sua primeira tentativa. Ela foi à plataforma e conseguiu levantar a barra com dificuldade, mas com validez. O seu segundo movimento foi de 130kg, porém ela frustrou a tentativa. A sua volta à ação foi para repetir a carga anterior. A brasileira fez tudo corretamente e conseguiu a validade da execução, o que levou a atleta às lágrimas nos bastidores do evento. Quinta colocação para ela.

No movimento, o pódio foi bem diferente do arranco. O ouro foi para a norueguesa Solfrid Koanda, que executou 141kg. Apesar de ter levantado a mesma carga, a mongol Ankhtsetseg ficou com a prata pelos critérios de desempate. Por fim, a russa Dariia Akhmerova ergueu 135kg e ficou com o bronze. No total, o pódio foi composto pela atleta da Mongólia (250kg) na primeira posição, pela uzbeque Tursonoy (244kg) na segunda e pela norueguesa Solfrid (244kg) na terceira.

No masculino, aconteceu uma dobradinha uzbeque na categoria até 109kg.. Akbar Djurea ganhou com a soma no arranco e no arremesso de 433kg, seguido pelo compatriota Ruslan Nurudinov, que ficou 421kg. O bronze foi para o armênio Simon Martirosyan, com 416kg.

O campeonato chega ao seu final na sexta-feira (17).

Foto: Divulgação/CBLP 

0 Comentários