No encerramento do Brasileiro Sub-20, Érica Cavalheiro faz índice para o Mundial no Quênia - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

No encerramento do Brasileiro Sub-20, Érica Cavalheiro faz índice para o Mundial no Quênia

Compartilhe

 


No último dia de competições do Brasileiro de Atletismo Sub-20, no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista, destaque para Érica Cavalheiro, que venceu os 200 m, com 24.15 e fez seu segundo índice para o Mundial Sub-20 no Quênia.


 A velocista de 18 anos, já tinha vencido os 400 m, com direito a índice e repetiu o feito nos 200 m. “Estou extremamente feliz pelos dois índices, pelas duas medalhas de ouro, e especialmente, por ter batido meus recordes pessoais”, disse Érica, que não competiu em 2020 por causa da pandemia. “Voltei bem este ano e tenho três competições importante previstas para este ano, Mundial, Pan-Americano no Chile e o Sul-Americano no Peru”.


A campeã dos 100 m Ana Cecilia Correia de Oliveira, ficou em segundo com 24.71 e fechando o pódio Eline Eduarda de Sousa Silva com 24.85.


No versão masculina dos 200 m, Vinicius Galeno, repetiu o feito de Érica, e venceu sua segunda prova (o atleta já havia levado os 400 m), com direito a índice, com 21.53 com vento de 2,3 m/s acima do permitido. “Estou treinando muito forte e estou fazendo minha história. Só tenho a agradecer aos meus treinadores, apoiadores e minha cidade, Planaltina” disse o atleta.


A segunda colocação ficou com Enzo de Castro Barros com 21.75 e em terceiro ficou Matheus Pereira de Oliveira, com 21.78.


Na prova do heptatlo, as três primeiras colocações fizeram marcas abaixo do índice para Pan Sub-20, com vitória de Giovana Corradi, com 4.820 pontos, seguida por Ana Luísa Couto, com 4.713 pontos e em terceiro Larissa da Silva Dutra, com 4.676. Das três atletas, somente Ana possuía o índice.


“Esse é o resultado de muito trabalho”, observou Giovana.


Na marcha atlética de 10.000 m, vitória de Rubens Dantas de Barros, com 44:35:82, batendo sua marca pessoal e com marca abaixo do índice para o Pan.


O marchador, e companheiro de treinos, do medalhista Mundial Caio Bonfim e da recordista brasileira dos 10 km (rua e pista) Gabriela Muniz.


Na etapa da tarde, os três primeiros colocados dos 100 m com barreiras obtém índice para o Quênia


Nos 110 m com barreiras, a vitória foi de Fabricio Júlio Pereira com 13.59s, seguido de Thiago Resende Santos com 13.82 e fechando o pódio Rian Pereira Coutinho, com 13.95s.  Todos os três com marca abaixo do índice qualificatório para o Mundial da categoria, de 14.15s.


Pelo critério, somente dois atletas podem ser convocados por prova, sendo que o fechamento do ranking acontece no dia 18 de julho.


"Estou bastante entusiasmado com a ideia de participar de uma competição tão importante quanto o Mundial. Comecei a fazer o 110 m com barreiras como prova principal só este ano. Até 2020 me dedicava mais ao salto  em distânica" disse o vencedor.


Nos 100m com barreiras feminino, medalha de ouro para Daniele Campigotto, com 13.98 e prata para Lays Cristina Rodrigues, com 14.07, sendo ambas as marcas abaixo do índice para o Mundial.


"Não imaginava vencer o Brasileiro nem conseguir o índice para o Mundial", disse Daniele de 18 anos.


"Eu estava confiante nos treinos realizados em Joinvile", disse Lays, de 16 anos, que é a lider do Ranking Brasileiro Sub-18, com 14.31. Com o bronze ficou Barbara Rodrigues da Cunha com 14.69.


Nos 3.000 m com obstáculos, em primeiro ficou Vinicius de Carvalho Alves, com 9:37:07 e no naipe feminino levou o ouro Mirelle Leite da Silva com 10:53:59.


Ao termino da competição, a vitória por equipe foi do Centro Olímpico com 147 pontos, CASO do Distrito Federal em segundo com 124 pontos, e em terceiro Orcampi, com 121 pontos.


De acordo com o júri técnico da competição, o melhor atleta no masculino, foi Vinicius Galeno, que venceu os 200m e os 400 m e no feminino, o grande destaque individual, foi Érica Cavalheiro que foi ouro nos 200 m e 400 m.


Foto: Wagner Carmo/CBAt

Nenhum comentário:

Postar um comentário