Egito e África do Sul levam vagas olímpicas no Campeonato Africano de Ginástica Artística - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Egito e África do Sul levam vagas olímpicas no Campeonato Africano de Ginástica Artística

Compartilhe

Zeina Ibrahim venceu o individual geral feminino no Campeonato Africano de Ginástica Artística. Com o título, a ginasta do Egito se classificou para Tóquio 2020. Quem também ficou com uma vaga olímpica, foi Naveen Daries, da África do Sul, que ficou com a medalha de bronze.

Ibrahim somou 50.200 pontos nos quatro aparelhos (a única ginasta da competição a quebrar a barreira dos 50). Ela teve a melhor nota do dia no salto, nas barras assimétricas e na trave. A disputa pela primeira posição ficou entre Zeina Ibrahim e sua companheira de seleção Farah Hussein, campeã do individual geral nos Jogos Africanos, em 2019. As duas tiraram a mesma nota nas barras paralelas (12.050) e foram as únicas que não caíram na trave, com Hussein tirando 12,950 e Ibrahim 13,150.

Após o solo, a diferença entre as duas era de apenas 0.3 pontos. Mas na “hora h”, Farah Hussein caiu no salto sobre a mesa tirando nota 11.700. Na sequência, Zeina Ibrahim acertou seu salto, tirando 13.200 e garantindo o título continental e a vaga olímpica. 

O Campeonato Africano distribui dois lugares nos Jogos Olímpicos, com limite de uma vaga por país. Com três ginastas do Egito recebendo as maiores notas, a quarta colocada, Naveen Daries, recebeu a vaga olímpica. No Mundial de 2019, Daries ficou a 0,067 pontos de ir para Tóquio (ela perdeu a disputa interna contra Caitlyn Rooskrantz). Hoje, a sul-africana teve um desempenho mais inconsistente, com quedas nos quatro aparelhos, tirando 43.850, cinco pontos abaixo do seu desempenho no mundial pré-olímpico. Mesmo assim, foi melhor do que as outras ginastas da África do Sul e da Argélia que também poderiam se classificar. Apesar de ter a quarta melhor nota, Naveen Daries levou a medalha de bronze, já que a premiação final considerou a regra de duas ginastas por país em finais e como as três primeiras atletas eram todas do Egito, a sul-africana herdou a medalha.

Com os resultados do Mundial de Ginástica Artística, Egito e África do Sul já tinham uma ginasta classificada para a Olimpíada. Mandy Mohamed e Caitlyn Rooskrantz também participaram da competição, mas como já estavam classificadas para Tóquio 2020, elas não tiveram suas notas divulgadas. 

Além de Egito, Argélia e África do Sul, também participou da competição a equipe de Camarões. A ginástica artística não tem muita tradição em países da África Subsaariana (com exceção da África do Sul) e as três ginastas do país tiveram uma primeira oportunidade de competir internacionalmente. 

Lisa Mebar, de Camarões, em sua apresentação no solo - Foto: Reprodução/SportLens TV
Infelizmente, as camaronenses não conseguiram notas boas em suas apresentações, com a pontuação mais alta sendo os 10.200 de Ajara Petsadjui no salto. As três ginastas do país zeraram nas barras assimétricas e uma delas, Lisa Mebar chegou a tirar uma nota negativa na trave (-2.700). A ginasta sofreu duas quedas e recebeu algumas penalizações que negativaram sua nota. A redenção de Mebar veio no solo, quando acertou sua série e teve a melhor pontuação de Camarões no aparelho: 8.500.

Classificação final:
1. Zeina Ibrahim (EGY) 50.100
2. Farah Hussein (EGY) 48.400
3. Jana Mahmoud (EGY) 47.250
4. Naveen Daries (RSA) 43.850
5. Fatima Ahlme Mokhtari (ALG) 42.650
6. Mammule Rankoe (RSA) 41.700
7. Zelme Daries (RSA) 40.800
8. Lahna Salem (ALG) 40.050

Foto de capa: Divulgação/SAGF

Nenhum comentário:

Postar um comentário