Esperança de medalha inédita do Turcomenistão no Levantamento de Pesos recebe de Presidente título mundial retroativo - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Esperança de medalha inédita do Turcomenistão no Levantamento de Pesos recebe de Presidente título mundial retroativo

Compartilhe

Um dos países que ainda buscam sua medalha inédita em Jogos Olímpicos, o Turcomenistão vê no levantamento de pesos sua maior chance de subir ao pódo ainda este ano. Neste mês, a principal esperança do país Yulduz Djumabayeva recebeu do presidente da nação Gurbanguly Berdimuhamedov as duas medalhas de ouro referentes ao Mundial de 2018.


No Campeonato Mundial de Levantamento de Pesos de 2018 realizado em Ashgabat, capital do Turcomenistão,  Ýulduz Djumabaýewa foi, originalmente, medalha de prata no total, e prata no arremesso, além de ouro no arranque. Porém, exames anti-doping realizados desqualificaram a tailandesa Thunya Sukcharoen, que havia sido campeã e só neste mês a IWF entregou os dois ouros em substituição às duas pratas. Agora, a atleta de 22 anos tem ouros e uma prata relativas ao Mundial de 2018.


No dia 10 de março, o presidente interino da Federação Mundial de Levantmaento de Pesos (IWF), Mike Irani, e o Secretário-Geral Mohammed Jalood participaram de forma virtual da cerimônia que aconteceu no Complexo de Artes Marciais na região de Ashgabat conhecida como Vila Olímpica, justamente onde ocorreu o Mundial de 2018. Gurbanguly Berdimuhamedov, presidente do Turcomenistão desde 2006 e do Comitê Olímpico Nacional, presidiu a cerimônia, que foi tratada como um coroamento à história do esporte no país.  

Como o turcomeno é uma língua derivada do turco, há varias transliterações do nome da atleta, ou seja, representações em outros alfabetos do som de um alfabeto diferente. Ela  também é conhecida como Yulduz Cumabaieva na transliteração ao português. Além disso, seu nome aparece no ranking da IWF como Yulduz Dzhumbayeva e em algumas reportagens da própria IWF como Ýulduz Jumabaýewa, sem o D.


Exames de anti-doping também desqualificaram do mesmo mundial o uzbeque Rustam Djangabaev  para halterofilistas acima de 105kg. Além de Fernando Reis, que ganhou uma medalha inédita no esporte brasileiro  o turcomeno Hojamuhammet Toýçyýew herdou o bronze no arremesso na mesma categoria. Ele é um dos principais adversários de Reis a caminho de uma medalha inédita para o esporte em ambos os países.


Assim como a Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLB) fará uma cerimônia de premiação em breve para Reis, é de se esperar que a Confederação Turcomena faça uma nova cerimônia em breve para Toýçyýew.

Hojamuhammet Toýçyýew (dir) é, ao lado de Ýulduz Djumabaýewa uma das esperanças do Turcomenistão para a conquista da medalha inédita em Tóquio - Foto: Turkmen portal


Curiosamente, Jumabaýewa e Toýçyýew foram treinados em Ashgabat por Ümürbek  Bazarbaýew, que começava em 2018 uma suspensão de quatro anos por uso de doping, segundo Brian Oliver, jornalista do Inside the Games, que também lembra que Turcomenistão e Uzbequistão instituiram Agências Nacionais Anti-Doping apenas em 2018.


Ümürbek Bazarbaýew participou de quatro Jogos Olímpicos entre 2000 e 2012 e seu sexto lugar nos 62kg em Londres 2012 é a melhor colocação alcançada por um atleta representando o Turcomenistão desde sua independência. O país é a única ex-república soviética a não subir ao pódio olímpico.





Fotos da Cerimônia: Divulgação / Ministério das Relações Exteriores do Turcomenistão

Nenhum comentário:

Postar um comentário