Irã condena outro wrestler local à morte por suposto assassinato


Mehdi Ali Hosseini é mais um wrestler iraniano condenado à morte. O atleta de 29 anos foi acusado pela morte de um jovem durante uma briga em 2015. Como a família da vítima não concordou com o perdão, foi decidido que Housseini será enforcado. 


Segundo o jornal espanhol Marca, até mesmo o campeão olímpico greco-romano em Londres 2012, Hamid Surian, atual vice-presidente da Federação Iraniana de Luta Livre, foi uma das pessoas que tentou interceder para evitar a condenação de Hosseini.


Esta é a mesma acusação sofrida por Navid Afkari, outro wrestler iraniano, enforcado em setembro de 2020, por supostamente ter esfaqueado uma pessoa até a morte em 2018, durante uma manifestação contra o governo iraniano. Além disso ele teria ‘proferido ofensas contra Deus’. É válido ressaltar que Afkari negou todas as acusações e sua família revelou que sua confissão, que foi gravada e transmitida pelo regime, foi feita sob tortura. 


Mesmo após ser preso, Housseini continuou disputando sua modalidade, vencendo um torneio nacional para presidiários.


Diretor de polícia diz que atletas iranianos têm medo de morrer


Em entrevista ao Jerusalém Post, Cameron Khansarinia, diretor de polícia da União Nacional para a Democracia no Irã (NUFDI), uma organização apartidária, revelou que os atletas do Irã sentem o temor de terem o mesmo fim que Afkari e serem condenados à morte. 


Khansarinia disse ainda que o Comitê Olímpico Internacional (COI) ainda não tomou nenhuma ação séria, como banir o país dos eventos olímpicos e esportivos internacionais pela série de supostas acusações. 


Foto: Reprodução


Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem