Na Missão Europa, canoístas Ana Sátila e Pepê Gonçalves recebem barcos que serão usados em Tóquio - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Na Missão Europa, canoístas Ana Sátila e Pepê Gonçalves recebem barcos que serão usados em Tóquio

Compartilhe

Portugal é a principal base da Missão Europa, mas os atletas brasileiros têm se espalhado pelo continente em busca das melhores condições de treino. Numa parceria entre o Comitê Olímpico do Brasil e a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), Ana Sátila e Pepê Gonçalves, que serão os representantes do Brasil em Tóquio 2020 na canoagem slalom, estão treinando, respectivamente, na França e na República Tcheca. Além da possibilidade de testarem suas habilidades em canais diferentes dos que estão acostumados, os atletas têm um motivo extra para treinar: receberam novos barcos que serão usados nos Jogos Olímpicos.

“Estávamos há um ano sem trocar de equipamento e poder vir à Europa, buscar os novos, os equipamentos olímpicos, mirando os Jogos, nos dá um conforto muito grande”, disse Pepê. “Para mim, é importante estar na Missão e poder treinar numa pista diferente, com estímulos de água diferentes, voltando a treinar com um técnico europeu, o Vavra (Hradilek). Ele ainda está em atividade e, por isso, acrescenta muitos detalhes de quem está na água”, completou.

“Hoje estou podendo treinar com a número um do ranking mundial e campeã dos Jogos Olímpicos no Rio. Isso nos traz muita experiência, é um feedback muito importante e, por isso, escolhemos a cidade de Pau, na França, que é uma referência no mundo inteiro”, analisou Sátila.

Apesar de ser uma pista diferente da que está acostumada a treinar no dia-a-dia, a canoísta está num local conhecido e que traz boas lembranças. Foi em Pau, sul da França, que, em 2017, ela conquistou suas primeiras medalhas em Mundiais: bronze no C1 e prata no K1 Extremo.

“É realmente um local especial. Lembro muito bem de cada conquista e isso é uma inspiração para mim. Acordo cada dia mais motivada para treinar, para me empenhar mais e isso tem sido um diferencial”, contou Ana. “É uma cidade incrível, pista com nível técnico muito avançado. Esses treinos estão sendo essenciais para nossa preparação para a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos”.

Tanto Ana quanto Pepê não estavam totalmente parados antes da Missão Europa. Eles vinham treinando no Parque Olímpico de Deodoro, no Rio de Janeiro, há dois meses e usando as dependências do CT Time Brasil para fazer a parte física. Os locais de treinamento foram escolhidos numa decisão conjunta entre COB, CBCa, comissão técnica e, principalmente, os atletas.

“Eu me sinto muito honrada de estar aqui. Houve uma grande união entre eu, meu técnico, o COB e a CBCa para definirmos a programação, nossa opinião pesou muito. Exigiu muito esforço de todos os envolvidos para eu estar aqui realizando esse sonho, esse projeto incrível. Tenho me dedicado 100% diariamente para fazer valer esse empenho de todo mundo”, detalhou Sátila.

A ação é muito importante para que os atletas alcancem os objetivos traçados para Tóquio 2020.

“Quero conseguir colocar naquele dia, naquela hora específica, tudo o que tenho aprendido durante esses anos. Os Jogos de Londres e do Rio serviram como um aprendizado incrível”, contou Ana Sátila.

“Já sei como é uma final olímpica e pretendo chegar nela novamente, brigando por uma medalha. Então, mais maduro e preparado, me sinto tranquilo para buscar isso. Não é de uma hora para outra, é um trabalho longo, já tenho 10 anos no Circuito Mundial e acredito que agora são detalhes importantíssimos, como essa viagem, que vão fazer a diferença na hora da final olímpica”, finalizou Pepê.

Foto: Rafael Bello/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário