Em ano de Copa do Mundo, vôlei feminino do Brasil vai em busca de título inédito no Mundial


A seleção brasileira vai em busca do hexa nesta Copa do Mundo. Já a equipe de vôlei tenta seu primeiro título no Mundial da modalidade. O primeiro é o time de Felipão, o segundo é o de Zé Roberto Guimarães. Em 2014, os dois vão atrás do título da Copa do Mundo em seus respectivos esportes. Mas como se trata do Brasil, até o técnico do time de vôlei fala sobre futebol.

– Achei que o time já se soltou um pouquinho mais, era importante uma vitória como foi de 4 a 1. Eu acho que o mais importante que eu vejo na seleção brasileira é que ela tem opções. O Felipão tem opções. O Brasil tem a possibilidade de jogar com ou sem o centroavante – opinou.

No vôlei feminino, o Mundial não é a única competição importante que o Brasil vai disputar este ano. O Grand Prix, que ocorre anualmente, também está no calendário da Seleção. Se em uma competição o país é o maior vencedor, na outra ainda não tem nenhum título. Mesmo assim, Zé Roberto acredita que a dificuldade é igual em ambos os torneios.

– Os dois (ganhar o décimo Grand Prix e o primeiro título do Mundial). Principalmente nesse novo formato do Grand Prix, que estão as melhores seleções do mundo. Mas o Mundial, pelo número de jogos, por levar resultado para a próxima fase, o nosso grupo que é considerado o da morte porque tem Sérvia, Turquia, Bulgária como primeiro jogo.

  Em 2006 e 2010, o Brasil chegou perto da conquista, mas ficou com o vice campeonato. O algoz foi o mesmo nas duas oportunidades.

– Dá uma raiva. Mas a Rússia foi melhor em 2006 e em 2010. Foram dois jogos vencidos pela Rússia no tie-break. Nós demos o troco depois, nas Olimpíadas de 2012, mas tem que reconhecer que tem sempre o gosto do Brasil nunca ter vencido.


O Mundial de Vôlei começa no dia 23 de setembro e vai até 12 de outubro. Neste ano, a competição acontece na Itália. O Brasil está no grupo B ao lado de Sérvia, Turquia, Canadá, Camarões e Bulgária.


Foto e Fonte: SporTV.com

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024?

Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco.

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Postar um comentário

To Top