Renan Dal Zotto cogita usar Leal e Lucarelli como titulares em Tóquio 2020



O técnico da seleção masculina de vôlei, Renan Dal Zotto, foi o entrevistado do programa 'Grande círculo' do canal por assinatura SporTV. entre diversos assuntos de sua vida e carreira, Renana falou sobre os preparativos para Tóquio 2020 e do desejo de usar os ponteiros Lucarelli e Leal juntos na equipe titular:

"Lucarelli foi uma surpresa fantástica, porque era o nosso principal finalizador. Ele entendeu a função que deveria ter na seleção brasileira. No começo do ano, Leal e Lucarelli não estavam jogando juntos. Aí o Lucarelli começou a treinar que nem maluco e evoluiu muito no passe. O Leal também evoluiu no passe."
Pontuadores natos, Leal e Lucarelli não tem a defesa como ponto forte, por isso, Renan escalava ou Doulgas Souza ou Maurício Borges como ponteiro passador, função que ele acredita que tanto Lucarelli ou Leal poderão fazer em 2020.

Renan falou da recepção de Leal, cubano naturalizado brasileiro, na seleção brasileira: Entrou com um processo na Justiça pedindo a cidadania brasileira por serviços prestados à frente do Cruzeiro. Ele foi muito corajoso. Ele falou: “Renan, não quero folga não, quero vestir essa camisa.” “Então você vai sair da Itália (onde joga) e vai encontrar a gente na Polônia (para a Liga das Nações)”. Ele estava no aeroporto umas seis horas esperando a seleção brasileira, com a camisa já. Teve zero resistência (dos outros jogadores). O que demorou um pouquinho foi para ele se adaptar ao nosso sistema de jogo, porque ele foi criado para ser um finalizador, e na seleção brasileira ele é também um finalizador. Ele precisa cobrir, precisa passar, precisa defender. Isso demorou um pouquinho de tempo."

Renan Também contou que recusou duas vezes o convite para ser o técnico da seleção brasileira após os jogos Rio 2016, já que não se considerava apto ao cargo por estar muito tempo sem exercer a função de treinador- Renan foi diretor técnico de seleções entre 2013 e 2016. 

Renan Dal Zotto revelou ainda que sua intenção era se dedicar a empresa de investimentos financeiros que tinha junto com a esposa, mas foi convencido por Zé Roberto Guimarães a assumir a seleção masculina. Mas antes de aceitar, ele pediu a aprovação de sua esposa e de Bernardinho:

Ele (Bernardinho) falou: “Mas tem a possibilidade?” Eu falei: “Tem, cara, pela primeira vez. Então estou indo jantar contigo.” Peguei um avião no mesmo dia, saí de Maceió e fui ao Rio, falei com o Bernardo: “Cara, eu preciso que tu estejas próximo. Preciso de você.” O Bernardo viveu um conflito enorme para tomar essa decisão, porque está no sangue dele. Aí aceitei por isso, porque achei que poderia dar conta dessa responsabilidade.

foto: Divulgação/FIVB

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes