COB finaliza período de testes nas bases do Time Brasil no Japão


Chegou ao fim nesta sexta-feira, dia 29, uma importante fase do planejamento do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Depois de dez dias na cidade japonesa de Ota, a Seleção Brasileira feminina de handebol embarcou para Kumamoto, onde disputará o Campeonato Mundial. A equipe usufruiu de toda estrutura e foi uma das dez que, desde meados de 2018, utilizaram cinco bases do apoio do COB no Japão. Ao todo, 333 atletas e comissões técnicas passaram pelos locais para treinamentos e simulações das operações.

O handebol feminino inaugurou a estrutura do Youth Exchange Center, que foi reformada pela prefeitura de Ota especialmente para receber as equipes do Time Brasil no ano que vem. O local terá importância estratégica no planejamento do COB. Lá funcionará um grande centro de logística da operação. O COB montará ainda um centro médico e fisioterápico no local, que também servirá comida brasileira para todos os atletas que estiverem treinando na região. 

Em outra instalação de Ota ocorrerá a operação de montagens de malas e distribuição de uniformes para os atletas. A ação do handebol ocorreu entre 17 e 29 de novembro e, além dos treinamentos na quadra exclusiva de Ota, a seleção brasileira participou da Japan Cup, evento-teste realizado no mesmo ginásio de Tóquio 2020. A equipe participou ainda de uma série de atividades de engajamento com a comunidade local, como visita a uma escola e clínicas para jovens, e realizou um passeio cultural por Tóquio.

“Finalizamos com o handebol feminino uma fase importante do planejamento, que foram os testes tantos esportivos quanto operacionais de todas as bases de apoio que utilizaremos nos Jogos Olímpicos de 2020. Foi muito importante para entendermos como funciona a operação dos japoneses e o que precisávamos adaptar para chegarmos em 2020 com todo o planejamento ajustado para provermos as melhores condições possíveis aos atletas brasileiros”, afirmou o gerente-executivo de Alto Rendimento e Jogos e Operações Internacionais do COB, Sebástian Pereira.

Além do handebol feminino e do masculino, que também esteve em Ota, em 2018, também passaram pelas bases do COB no Japão atletismo, judô, karatê, maratona aquática, natação, vela e vôlei (masculino e feminino). Ao todo, foram realizadas seis ações em 2018 e oito em 2019 em cinco bases exclusivas para o Time Brasil e uma instalação oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio. As operações testaram os seguintes serviços: acomodação, transporte aéreo e terrestre, alimentação, hidratação, serviços médicos, treinamento técnico, de força e montagem de estruturas.

Em 2020, os atletas brasileiros terão à disposição bases em Chiba, Enoshima, Hamamatsu, Sagamihara, Miyagase, Saitama, Ota, Koto e Chuo, esta última bem perto da Vila Olímpica. As nove bases de apoio do Time Brasil farão de Tóquio 2020 a operação mais complexa da história olímpica brasileira. A divisão de modalidades em cada base está sendo definida de acordo com os planejamentos conjuntos entre COB e confederações.

Foto: COB/Daniel Varsano


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes