Mundial de Ginástica Artística 2019 - Últimos dias: Arthur Nory faz história e é campeão mundial na barra fixa


O Mundial de Ginástica Artística chegou ao seu encerramento com as finais por aparelhos disputadas neste fim de semana em Stuttgart. Cinco finais foram disputadas no sábado e outras cinco neste domingo. O único brasileiro que participou de finais no sábado foi Arthur Zanetti, que ficou em quinto lugar na final das argolas com a nota de 14.725. O ouro ficou com o turco Ibrahim Colak com 14.933, seguido do italiano Marco Lodadio (14.900) e do francês Samir Ait Said (14.800). O grego Eleftherios Petrounias, que defendia o título, ficou em quarto lugar com 14.733.

Outras duas finais masculinas foram disputadas no sábado. No solo, o ouro ficou com o filipino Carlos Edriel Yulo com a nota de 15.300, seguido do israelense Artem Dolgopyat (15.200) e do chinês Ruoteng Xiao (14.933). No cavalo com alças, o ouro ficou para o britânico Max Whitlock com a nota de 15.500, seguido do taiwanês Chih Kai Lee (15.433) e do irlandês Rhys McClenaghan (15.400), que completaram o pódio.

As americanas Simone Biles e Jade Carey fizeram dobradinha no salto, com Biles levando o ouro com a nota de 15.399 na média dos dois saltos contra 14.883 da Carey. O bronze ficou com a britânica Elissa Downie ficou com o bronze (14.816). Nas barras assimétricas o ouro ficou para a belga Nina Derwael com 15.233, seguida da britânica Rebecca Downie (15.000) e da americana Sunisa Lee (14.800).

No último dia de competições. Simone Biles conquistou outros dois ouros para a sua galeria. Na trave ela fez 15.066, tendo a companhia no pódio das chinesas Tingting Liu (14.433) e Shijia Li (14.300). No solo, a americana tirou a nota de 15.133, seguida da compatriota Sunisa Lee (14.133) e da russa Angelina Melnikova (14.066). A brasileira Flávia Saraiva disputou as duas finais. Na trave ela sofreu uma queda logo no início da apresentação e ficou em sexto lugar com 13.400. Já no solo, Flavinha esteve muito perto da medalha mas ficou em quarto lugar com 13.966. A equipe brasileira chegou a recorrer da nota, que poderia colocá-la no pódio, mas não obteve êxito.

Os russos Nikita Nagornyy e Artur Dalaloyan fizeram dobradinha no salto, com Nagornyy levando o ouro com a nota final de 14.966 contra 14.933 de Dalaloyan. O pódio foi completado pelo ucraniano Igor Radivilov (14.749). Nas barras paralelas o britânico Joe Fraser ficou com o ouro cravando a nota de 15.000, seguido do turco Ahmet Onder (14.983) e do japonês Kazuma Kaya (14.966).

Mas o melhor ficou para o final. Na barra fixa, prova que encerrou o Mundial, o brasileiro Arthur Nory se consagrou campeão mundial com a nota de 14.900, deixando para trás o croata Tin Srbic, campeão em 2017 e que ficou com a prata (14.666) e o russo Artur Dalaloyan, que fez 14.533 e ficou com o bronze.

Nory se torna assim o quarto brasileiro e conquistar um título mundial na ginástica artística, repetindo os feitos de Daiane dos Santos em 2003, Diego Hypólito em 2005 e 2007 (ambos no solo) e Arthur Zanetti em 2013 nas argolas. Nory se tornou o primeiro brasileiro a conquistar medalhas em Olimpíada e Mundial em aparelhos diferentes, já que foi medalha de bronze nos Jogos Rio 2016 na prova do solo.

Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes